O ator Leonardo Machado, que fez sucesso em várias Novelas e minisséries da Rede Globo, com destaque para Viver a Vida, teria sido muito corajoso na luta contra o câncer de fígado, não se entregando em hipótese nenhuma, entretanto, acabou falecendo aos 42 anos neste último sábado (29). Alguns meses antes de falecer, ele teria procurado a equipe do filme Legalidade para abrir o jogo. O ator sabia que sua doença era gravíssima e ele já estava bem debilitado e uma preocupação tomou conta do ator: ele queria o filme pronto e que não faltasse nada.

Publicidade

De acordo com o diretor de cinema Zeca Britto, quando a equipe soube da gravidade da doença do ator, todos começaram a trabalhar mais firmemente para que todos os objetivos com o filme fossem alcançados, atendendo também uma vontade do ator. "Nós corremos com todas as etapas para que ele pudesse assistir ao primeiro corte", disse Britto.

Emocionado, o diretor contou que mostrou o filme pronto para ele, o que o teria deixado muito satisfeito. O filme Legalidade foi gravado em 2017 e Leonardo Machado fez o papel do político Leonel Brizola.

Inicialmente, esse papel não era de Leonardo, contudo, ele insistiu para que fosse dada a ele essa oportunidade. O diretor comentou que até resistiu no começo, mas depois deixou ele ficar com o papel.

Cena envolvente

Segundo o diretor, a vontade do ator em participar do filme era tão grande, que no dia do teste para ver se ele seria aprovado, Leonardo surpreendeu a todos. Ele veio caracterizado como Leonel Brizola. Britto falou que isso era uma coisa rara de acontecer. O ator veio de uma forma como se o personagem já seria dele.

Publicidade

"Isso foi uma coisa que impressionou todo mundo", declarou o diretor.

Um dos fatos que chamou a atenção da direção do filme, é que uma das partes mais envolventes do filme, um monólogo em que o ator interpreta um discurso de Brizola, foi feito sem nenhuma pausa. O ator chegou pronto, com todo o texto decorado e gravou a cena inteira sem nenhum corte.

O diretor contou que Leonardo era muito concentrado e conseguia fazer que os outros atores fizessem a mesma coisa, por respeito a ele. A cena mais forte do filme foi passada no velório do ator. Esse foi um dos pedidos dele antes de falecer.

Trabalhos inéditos

Outros dois trabalhos inéditos do ator são: longa-metragem A Cabeça de Gumercindo Saraiva, que estreará em 25 de outubro, e a série documental Sonho Americano, que também vai estrear este ano.