O mundo da TV está de luto. Morreu na madrugada desta terça-feira (16), o ex-repórter policial Gil Gomes, aos 78 anos. Candido Gil Gomes Júnior fez história no rádio e na TV e tornou-se um dos maiores repórteres policiais do Brasil.

Na noite de segunda-feira, Gil Gomes passou mal em sua casa, no bairro Jardim Saúde, zona sul de São Paulo. O jornalista foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhado ao Hospital São Paulo.

A morte foi confirmada durante a madrugada.

Publicidade

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, o ex-repórter faleceu devido em decorrência de um câncer no fígado. Havia 18 anos que o ex-repórter se afastou da TV e do rádio por causa do Mal de Parkinson.

Nos últimos anos, os sintomas da doença estavam muito fortes. Em uma das últimas entrevistas que deu na TV, para Geraldo Luís, da Record TV, em 2014, ele tremia muito.

O velório do corpo de Gil Gomes será realizado no Obelisco do Ibirapuera porque seu pai, Candido Gil Gomes, foi combatente da Revolução de 1932.

O enterro está marcado para quinta-feira (18) no Cemitério Vila Rio, em Guarulhos. A morte do ex-repórter policial repercute bastante nas redes sociais.

Trajetória de sucesso no rádio e na TV

Gil Gomes nasceu no dia 13 de junho de 1940. Na infância, vendia balas e santinhos em frente a uma igreja da Mooca, reduto italiano na zona leste da cidade de São Paulo.

Antes de ser comunicador, Gil sofria com a gagueira e imitava narradores esportivos para amenizar o problema. Foi assim que deu de cara com a sua vocação e abandonou a ideia de ser médico para seguir na área de comunicação.

Publicidade

Nos anos 1960, começou uma brilhante carreira no rádio. Como locutor esportivo, atuou na Rádio Progresso e depois passou diversas emissoras do interior e da capital.

No começo dos anos 1990, Gil Gomes transferiu-se para a TV. No SBT, integrou a equipe do telejornal “Aqui Agora”. A essa altura, ele já era um repórter policial bastante conhecido.

Na TV, seu visual e gestos com a mão passaram a fazer sucesso e Gil Gomes ficou conhecido em todo o Brasil. O “Aqui Agora” alcançava altos índices de audiência e chegou a incomodar até mesmo a Rede Globo.

O jornalístico policial ficou no ar até 1997. No ano seguinte, Gil Gomes foi contratado pela TV Gazeta. Depois disso, passou pela Record TV, onde apresentou o humorístico “Escolinha do Barulho”.

Depois disso, ainda passou pelo SBT, onde narrava histórias sobrenaturais no programa de Sônia Abrão, e pela RedeTV