Gil Gomes morreu na madrugada desta terça-feira (16), no Hospital São Paulo, localizado na Vila Clementino, capital paulistana, vítima de câncer no fígado. O apresentador foi encontrado inconsciente em sua residência e levado às pressas ao hospital.

O jornalista sofria de mal de Parkinson, uma doença degenerativa crônica no sistema nervoso do cérebro, que provoca tremores e dificuldade na coordenação motora do corpo.

Na segunda-feira (15), Gil Gomes já havia passado mal em sua residência, no bairro da Saúde em São Paulo, e foi socorrido pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ‘SAMU’, onde foi levado ao pronto-socorro do Hospital São Paulo, mas não resistiu e os médicos de plantão confirmaram o óbito na madrugada desta terça-feira (16).

Publicidade
Publicidade

Em uma entrevista ao portal UOL no ano de 2016, Gil comentou sobre sua doença e os planos para voltar à Televisão em um programa de rede de farmácias, apresentado pela TV Ultrafarma. "Estou com Parkinson. Eu tremo. Parecia impossível voltar".

Gil Gomes tinha quatro filhos e nove netos, e segundo uma de suas filhas, era uma pessoa única na comunicação, que repudiava injustiças sociais. ‘Era muito considerado desde os delegados até as classes mais humildes’, disse a filha.

Publicidade

Muitas pessoas famosas lamentaram a morte do jornalista através das redes sociais, como o atual presidente, Michel Temer (MDB), que postou em seu perfil do Twitter, elogios a Gil, por ser único e carismático, marcando para sempre o jornalismo brasileiro.

O velório de Gil Gomes teve início às 14hs desta terça-feira (16) na Capela Obelisco, localizada no bairro da Vila Mariana em São Paulo, e o enterro está previsto para esta próxima quarta-feira (17), no Cemitério Memorial Vertical de Guarulhos, localizado na Vila Brermen em Guarulhos, SP. O horário do sepultamento ainda não foi informado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Televisão

A ampla carreira de Gil Gomes

Cândido Gil Gomes Júnior, nasceu no ano de 1940, em São Paulo, e ingressou na carreira de radialista com apenas 18 anos de idade, onde se tornou locutor esportivo em uma rádio local. O dono da voz mais conhecida do Brasil no jornalismo crônico policial, não imaginava na época trabalhar em jornalismo policial e muito menos cobrir matérias de crimes. Chegou a comentar em uma entrevista concedida à Folha de São Paulo no ano de 2018, que polícia para ela significava “coisa de mundo cão”.

Em 1968, o então radialista esportivo começou a cobrir reportagens com temas mais amplos e variados, onde em uma cobertura ‘ao vivo’ de denúncia por abuso sexual, no próprio edifício onde trabalhava, ele se destacou como jornalista, e a partir daí, direcionou seu talento narrativo para crônicas policiais.

O reconhecimento nacional chegou apenas na década de 90, onde Gil Gomes foi convidado pelo canal ‘SBT’, a integrar a equipe de jornalismo popular “Aqui e Agora”, que mais tarde o tornaria um dos mais Famosos e respeitados jornalistas policias do Brasil.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo