A repórter da Rede Globo Veruska Donato passou por um verdadeiro susto na manhã desta segunda-feira (22) enquanto voava a trabalho em um helicóptero da emissora. A jornalista, que se preparava para entrar ao vivo no Bom Dia SP, acabou se desesperando após a porta do Globocop se abrir durante o voo. Além da repórter e do piloto, o cinegrafista e fotógrafo aéreo José Afonso também estava na aeronave e foi quem conseguiu fechar a porta do helicóptero que se desestabilizou e começou a chacoalhar durante o incidente.

Publicidade

Veruska Donato ficou desesperada a bordo do Globocop

Como é de costume no jornalistico Bom Dia São Paulo, um repórter a bordo do Globocop sobrevoa a cidade para dar as primeiras informações sobre o trânsito, durante uma entrada ao vivo no programa da Rede Globo. A profissional escalada para essa função na manhã desta segunda-feira (22) foi Veruska Donato, que acabou passando por um tremendo susto momentos antes de ser chamada pelo apresentador.

Na companhia do colega de trabalho José Afonso, a jornalista viu a porta do lado esquerdo do helicóptero se abrir e momentos de tensão se instauraram na aeronave.

O piloto, com uma das mãos, tentou fechar a porta, mas acabou não conseguindo por estar preso ao cinto de segurança e pilotando o Globocop.

Com a falha mecânica, o helicóptero começou a chacoalhar e José Afonso entrou em ação para ajudar o piloto, conseguindo fechar a porta e conter o desespero de Veruska Donato diante da situação. O cinegrafista e fotógrafo aéreo deixou o seu acento, ao lado do piloto, e pulou para o banco de trás onde estava a jornalista, conseguindo assim travar a porta da aeronave da Rede Globo.

Publicidade

Depois do susto que passou, por volta das 6h da manhã, Veruska Donato fez sua entrada ao vivo no Bom Dia São Paulo e mesmo demostrando um certo nervosismo conseguiu cumprir o seu trabalho.

Não é a primeira vez que um helicóptero da Globo apresenta falha durante o voo

Além de Veruska Donato e José Afonso, outros profissionais da Rede Globo já passaram por momentos de tensão a bordo do Globocop.

No ano de 2012, a jornalista Monalisa Perrone levou um verdadeiro susto quando a aeronave em que estava sofreu uma pane durante um voo e precisou retornar as pressas para a base da emissora.

Desde o incidente, a repórter, que hoje apresenta o Hora 1, na Rede Globo, nunca mais voou de helicóptero a trabalho.

Outro caso mais extremo acabou em morte no início do ano, quando o Globocop da Rede Globo acabou caindo e matando três pessoas em Recife.