A atriz Lili Reinhart, que ficou conhecida por interpretar Betty Cooper, uma das personagens mais queridas do público em Riverdale, contou para a Vogue Austrália que não tem a intenção de fazer uma personagem adolescente novamente.

Com o desejo de superar os clichés adolescentes e mostrar tudo que ela é capaz de fazer como atriz, Reinhart tomou bastante cuidado ao escolher as palavras para mostrar que histórias adolescentes não são mais a sua. A atriz revelou que já está de olho em outros projetos que ela possa fazer no futuro, mas reafirmou que por fazer uma colegial durante nove meses do ano, está passando longe de personagens e roteiros de ensino médio.

Publicidade

“Eu me vejo fazendo um monte de filmes e fazendo papéis que não são do ensino médio, estou, definitivamente, no momento, olhando outros projetos para fazer no futuro", disse a atriz.

A estrela deixou claro que seu coração está nos filmes, onde ela se sente artisticamente cumprida.

Lili gosta de se desafiar como atriz. E para sentir que está se esforçando e crescendo como artista, ela diz que precisa fazer coisas mais adultas, totalmente o oposto do seriado Riverdale, onde ela atua como uma das protagonistas.

Reinhart também comentou o lado ruim de estar sob os holofotes

A atuação incrível da Lili como Betty Cooper não é a única razão da loira dominar as manchetes ultimamente. Além de namorar o ator Cole Sprouse, que interpreta Jughead Jones e também faz par romântico com a sua personagem em Riverdale, a atriz vive se esforçando para quebrar os padrões de Hollywood e dá aquele famoso "puxão de orelha" nos fãs pelo comportamento ruim que alguns andam tendo.

“Eu me sinto como se estivesse no centro das atenções, você é forçado a ver suas inseguranças refletidas em você, porque você tem centenas de pessoas apontando suas falhas", disse Reinhart que admitiu o quão difícil é ter pessoas que nem a conhece lhe julgando.

Publicidade

“Encontrar sua confiança em um mundo onde você está sendo julgado por cada movimento que você faz não é fácil", continuou.

Sobre Hollywood, Lili acredita que existe um filtro para tornar tudo mais atraente do que de fato é. Para ela, tudo é muito irrealista pois "pessoas lindas e perfeitas" são mostradas ao público o tempo inteiro, quando na realidade, é mínima a parcela de pessoas que existem e possuem aquela aparência e modo de agir.

"Você não vê os distúrbios alimentares ou a acne ou a depressão ou as lutas que acontecem nos bastidores", ressaltou.