O mundo dos quadrinhos está em luto. Criador de personagens icônicos, como o Homem-Aranha, Thor, o Incrível Hulk e o grupo de mutantes X-Men, morreu nesta segunda-feira, dia 12, autor Stan Lee. A informação foi divulgada primeiramente pelo site especializado em celebridades TMZ, e, posteriormente, confirmada por sua filha Joan Celia Lee. O escritor, que já vinha enfrentando problemas de saúde, morreu após uma parada cardiorrespiratória. Ele sofria de pneumonia e de problemas nos olhos.

De acordo com a notícia publicada pelo TMZ, ele passou mal em sua casa, em Hollywood, e uma ambulância o levou até o Cedars-Sinai Medical Center, onde foi declarado morto.

Publicidade

Ele foi editor-chefe da Marvel e sempre fazia participação nos filmes baseados nos super-heróis que criou. O momento em que ele aparecia levava os fãs na sala de cinema à loucura.

Sua esposa, Joan Clayton Boocock, com quem era casado desde 5 de dezembro de 1947, morreu em julho do ano passado, após complicações sofridas depois de um derrame cerebral. Ele deixa a filha, Joan Celia Lee, de 68 anos. Um documentário, obtido pelo site The Hollywood Reporter, revelava que o relacionamento dele com a filha estava estremecido, muito em função dos gastos exorbitantes de Lee.

Também era especulado que o quadrinista estava em complicada situação financeira e que os responsáveis por isso eram pessoas próximas dele, além da própria filha. Ele também teve seu nome envolvido em diversas polêmicas sobre seus negócios.

A carreira

Stanley Martin Lieber, nome de batismo do autor, nasceu em 28 de dezembro de dezembro de 1922. Com apenas 16 anos de idade, logo após se formar no ensino médio, teve seu primeiro contato com histórias em quadrinhos, quando foi contratado para ser assistente em uma editora chamada Timely Comics, onde alguns anos mais tarde, já como editor, começou a escrever roteiros assinando-os com o nome o qual ficou mundialmente conhecido.

Publicidade

Nessa mesma editora, que depois viria a se chamar Atlas, até se transformar na Marvel, começou a criar personagens que viria a consagrá-lo e cair no gosto dos fãs. O primeiro deles foi o Quarteto Fantástico, em 1961. No ano seguinte vieram o Incrível Hulk e o Homem-Aranha e, em 1963, os X-Men. Lee também foi responsável por levar os super-heróis para a televisão na década de 80.

A partir dos anos 2000, os personagens criados pro Lee ganharam vida no cinema, em produções de grande sucesso. Começando pelos X-Men (em 2000) e o Homem-Aranha (2002), filmes que lucraram bilhões de dólares, tiveram diversas sequencias e fez os estúdios verem a indústria dos quadrinhos como uma mina de ouro.