A modelo brasileira Gisele Bündchen fez um apelo para o presidente eleito Jair Bolsonaro. Gisele, conhecida como defensora e colaboradora de projetos do meio ambiente, questionou, através de rede social, a decisão tomada por Bolsonaro nesta última terça-feira, 30 de outubro.

Bolsonaro disse que, em decisão, os ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura irão se fundir. O objetivo é que eles tornem-se apenas um ministério dentro do departamento político.

Publicidade
Publicidade

A decisão fez algumas pessoas criticarem a decisão. No Twitter, Gisele Bundchen falou sobre o caso, escrevendo uma carta direcionada a Bolsonaro como forma de apelo para uma mudança de posicionamento do político.

De início, Gisele Bundchen disse: "como defensora do meio ambiente e cidadã brasileira, preciso manifestar a preocupação com a proposta de união entre os Ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura". A modelo disse que os dois órgãos têm grande importância perante a sociedade, porém a modelo enfatizou que inúmeras vezes eles se tornam incompatíveis.

Publicidade

Gisele demonstrou medo da união dos ministérios causar prejuízos na preservação da natureza, denegrindo o meio ambiente por questões ligadas ao lucro no agronegócio.

Caminho sem volta

A modelo enfatizou que a decisão pode gerar um "caminho sem volta". Ela destacou as condições favoráveis da fauna e flora brasileira e enfatizou que acredita que o Brasil pode seguir em um cenário de desenvolvimento sustentável.

Gisele enfatizou o risco da decisão do presidente eleito, dizendo que isso prejudicaria a Amazônia e outras florestas que servem de equilíbrio natural climático.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Em apelo, Gisele disse para não permitir que o Brasil retroceda em décadas na batalha a favor das florestas.

Veja abaixo o texto na íntegra da modelo:

A modelo mostrou que direcionou o texto para Jair Bolsonaro, marcando o twitter do político na publicação.

Bolsonaro

Após notícia vincular na imprensa, Bolsonaro disse em programa católico que as duas pastas manterão-se separadas.

Além do mais, Bolsonaro disse que o objetivo é entregar o Meio Ambiente a alguém que seja relacionado com essa área. O político disse que quer alguém que represente a pasta, porém não interfira no processo de desenvolvimento econômico do Brasil.

Nesta última quinta-feira (01), Jair Bolsonaro também causou polêmica ao colocar o juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, no comando do Ministério da Justiça.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo