A apresentadora Izabella Camargo, de 37 anos, decidiu desabafar sobre a sua demissão da Rede Globo, após seis anos e meio trabalhando no canal. Segundo ela, não foi respeitado um momento difícil de sua vida, onde ela foi diagnosticada com síndrome de burnout.

Após retornar de licença médica, a apresentadora levou um grande susto: ela teve seu contrato rescindido. Na concepção dela, o único motivo da Globo demiti-la seria em razão dela ter ficado doente, pois sempre teria demosntrado responsabilidade com seus trabalhos.

Publicidade

Em uma forte declaração contra o canal carioca, a jornalista ressaltou: "Esperava qualquer coisa, menos ser demitida".

A doença da jornalista é decorrente de um intenso estresse emocional que acaba prejudicando o realizar das tarefas. Os sintomas são vários: tonturas, náuseas, falta de apetite, depressão, negativismo, falta de produtividade, dificuldade de concentração, entre outros. Em muitos casos mais graves, pode acontecer até mesmo o suicídio, como uma forma que a p essoa encontra de se livrar dos problemas.

Izabella Camargo está até preparando um livro para explicar todos os momentos difíceis que passou, e relatou que muitas coisas foram as responsáveis por ela passar por isso. Um dos pontos destacados por ela são os trabalhos que ela realizava de madrugada na maior parte de seus seis anos na emissora. Segundo ela e por orientações médicas, trabalhar nesse tipo de horário acaba descompensando os órgãos e a pessoa vai tendo um déficit celular.

Pediu ajuda

A jornalista lembrou que, por várias vezes, pediu aos responsáveis da emissora que pudessem trocar seus turnos para que o seu corpo pudesse responder melhor contra os problemas diagnosticados.

Publicidade

Entretanto, ela afirmou que não foi atendida.

A apresentadora chegava no canal às 3h da manhã e fazia várias entradas ao vivo na programação da Globo. Em seguida, na Globo News, ficava por meia hora falando sobre a previsão do tempo.

Situações difíceis

A jornalista percebeu que tudo estava indo mal quando começou a sentir taquicardia, ter crise de choro e um sistema de esgotamento. Ela lembra de um apagão que teve no ar, quando dava a previsão do tempo com o apresentador José Roberto Burnier.

Ela disse que não conseguia se lembrar no ar da capital do Paraná para dar a previsão e só citava Paraná, assim teve a ajuda do apresentador que falou Curitiba.

O médico dela aconselhou que ela parasse por riscos de convulsões.

De acordo com a apresentadora, a diretora regional do Jornalismo da Globo, Cristina Piasentini, disse que não poderia correr o risco dela entrar no ar e ter um apagão. Izabella teria insistido para voltar e recebeu a seguinte resposta: "Não tem mais vaga".

Em nota, a Globo disse que a demissão da jornalista não tem nada a ver com sua doença e que não comenta detalhes particulares sobre funcionários.