O cantor Sidney Magal ficou frente a frente com a cantora Pabllo Vittar em um quadro que vem emocionando fãs do Fantástico chamado Você por Aqui. Os dois famosos ficaram cara a cara no último domingo (25), e abriram o coração para falar sobre a carreira e as críticas que sofreram no passado. Em especial, Vittar ficou mais na berlinda, pois seu par de quadro no Fantástico já havia feito duras críticas em relação a seu trabalho.

Publicidade
Publicidade

Sem meias-palavras, Sidney abriu o encontro já revelando que fez muitas críticas à drag queen. Usando da sinceridade que lhe é peculiar, o cantor cigano disse que as críticas se concentraram mais no início da carreira de Pabllo, assim que ela "veio com tudo". Sidney revelou então: "ela está esquecendo que ela precisa cantar, ela está gritando muito", disse.

Por outro lado, também confessou, na sequência, que começou a acompanhar a carreira da jovem e que a viu cantar em outras situações. Diante do que viu, começou a repensar as críticas que vinha fazendo e percebeu o talento que ela tinha.

Publicidade

Sexualidade e conselhos a Pabllo

O intérprete de Sandra Rosa Madalena, que foi música tema de Pabllo Vittar quando ela era mais nova (revelação feita por ela mesma em outras oportunidades), começou tratando a cantora no sexo masculino e depois mudou para uma tratativa no feminino e explicou. Disse que o artista que habitava o corpo da drag não tinha sexo e não importava muito.

Na sequência já emendou conselhos à colega de música.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Fofocas

Ele sugeriu que Vittar se concentrasse naquilo que ela faz de melhor e que ela queira sempre ser melhor do que as pessoas pensam dela. Pabllo aceitou muito bem os comentários e disse ainda que sempre trabalha para melhorar. Ela também valorizou a presença de Magal a sua frente, o chamando de "ícone tão grande".

Preconceito hoje e nos anos 70

Sidney Magal também foi alvo de preconceitos durante sua carreira.

Ele comentou que era chamado de "bichinha", já que era um dos poucos homens que rebolavam em rede nacional e sempre teve um cuidado adicional com as roupas coloridas e com o gestual apropriado para seu trabalho. Por ser muito diferente da maioria dos homens, ele sofreu grande preconceito, mas o cantor nunca se incomodou com a situação.

Ao final, disse que a homofobia (que é vivida também por Vittar, pelo fato de ser um homossexual), sempre existiu, seja nos anos 70, ou nos tempos atuais.

Publicidade

Mais notícias da TV

Suposto ex-assessor faz acusação contra Simaria, da dupla com Simone: 'uma pessoa má'

8 ex-BBBs que morreram, foram presos ou tiveram que superar grandes dificuldades

Como estão os 8 últimos campeões do Big Brother Brasil e o que fizeram com o prêmio

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo