Ao longo desta semana, a controvérsia entre Silvio Santos e a cantora Claudia Leitte [VIDEO]dominou as discussões e fofocas em diversas redes sociais.

A alegação de Claudia sobre o suposto assédio sexual de Silvio Santos em relação a ela continua rendendo, tanto é que o jornal britânico The Guardian, na sua edição da última quinta-feira (15), traz uma reportagem justamente sobre o que de fato aconteceu entre essas duas personalidades brasileiras.

A raiz do problema

A controvérsia foi gerada porque quando Claudia Leitte dividiu o palco com o Homem do Baú, no sábado (10), em atração referente ao Teleton 2018, ela pediu um abraço a Silvio, que se recusou sob a alegação de que ficaria "excitado".

The Guardian explica o papel de Silvio Santos

O tabloide inglês frisa a enorme importância que Silvio Santos representa, afirmando que ele é um dos nomes mais importantes da televisão sul-americana e por décadas se faz presente nos televisores do Brasil.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Famosos

Por outro lado, o mesmo jornal faz alusão à enorme quantidade de críticas de telespectadores devido aos comentários ofensivos e impróprios que o apresentador constantemente faz.

A edição do jornal fez questão de reproduzir o trecho da fala de Silvio a Claudia Leitte, na qual ele aborda o modo como a artista está vestida, que segundo a expressão de Silvio o motiva a querer buscar por “um conforto”.

O jornal The Guardian também apontou o fato em relação ao aumento de 8% em relação a casos de estupro entre os anos de 2016 a 2017. [VIDEO] Isso sem mencionar os inúmeros crimes de violência doméstica.

Na realidade, os jornalistas britânicos acreditam que o comportamento de Silvio Santos para com Leitte só fez expor algumas das falhas sociais existentes no Brasil.

Britânicos falam dos pontos em comum entre Jair Bolsonaro e Silvio Santos

O jornal inglês ainda mencionou a vitória Jair Bolsonaro nas eleições para presidente da República, alicerçada nas camadas mais conservadoras e tradicionais brasileiras.

Segundo a análise dos ingleses, a ascensão de Bolsonaro e o comportamento de Silvio Santos em cadeia nacional de televisão se coincidem em atitudes autoritárias, sexistas e machistas. [VIDEO]

Os jornalistas aproveitaram para entrevistar Jacqueline Pitanguy, que é socióloga e diretora da ONG Cepia, que lida com as causas voltadas à defesa dos direitos humanos, a qual definiu com muita certeza que a fala de Silvio com Claudia foi assédio sexual, sim.

O The Guardian destacou que um grande número de telespectadores se pôs ao lado de Silvio Santos, dizendo que todo o ocorrido nada mais era do que entretenimento. Foi lembrada na reportagem inclusive Daniela Beyruti, filha de Silvio Santos, que o chamou de "super pai".

O tabloide também abordou as campanhas publicitárias nacionalistas recentes do SBT, resgatadas a pedido de Silvio, cuja frase principal é "Brasil: ame-o ou deixe-o", que foi um dos slogans marcantes durante o período de ditadura militar, entre 1964 a 1985. Tanto é que a mensagem foi retirada do ar devido à polêmica causada.

Maurício Stycer, que é crítico de TV, foi entrevistado pelo The Guardian, até mesmo porque ele recentemente lançou o livro biográfico "Topa Tudo por Dinheiro" sobre o apresentador, mas nem por isso deixou de dizer que tal anúncio publicitário do SBT foi no mínimo "chocante", se percebendo, assim, a necessidade de atualização por parte de Silvio Santos.