O final do ano chegou e junto com ele vêm as retrospectivas. Algumas lembranças do ano que está terminando são alegres e nos fazem sorrir. Já outras lembranças são tristes e enchem nossos olhos de lágrimas.

Nesta quinta-feira (27), a apresentadora Ana Maria Braga, que nunca escondeu de ninguém que é muito emotiva, levou ao ar uma retrospectiva do Mais Você, programa que apresenta nas manhãs da Rede Globo desde o começo dos anos 2000.

A loira fez uma retrospectiva do que foi notícia neste ano de 2018 e não faltou emoção.

Publicidade

Ela homenageou o jornalista Carlos Heitor Cony, que morreu em janeiro aos 91 anos. O jornalista foi um dos primeiros colaboradores do programa de Ana Maria Braga. A atração está perto de completar 20 anos no ar.

A apresentadora se emocionou ao falar sobre a morte do ex-colaborador do programa. Ela afirmou que no início do ano perdeu um dos caras que mais respeitava. Segundo Ana, era uma pessoa que estava desde o começo e acreditou bastante no sucesso do programa.

A loira ressaltou que foi uma grande honra ter um imortal da Academia Brasileira de Letras na equipe que fez o programa.

Ana afirmou guardar para sempre a emoção da primeira crônica que Heitor Cony fez para o programa. O texto chama-se "O Menino das meias vermelhas". Segundo a apresentadora, ela guarda sempre no coração e ressaltou que o texto fez muito sucesso na época. Após a ler a crônica, Ana Maria se despediu da atração visivelmente emocionada.

O jornalista e escritor Carlos Heitor Cony morreu no dia 5 de janeiro, aos 91 anos. Ele estava internado havia 10 dias no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. Ele foi submetido a uma cirurgia no intestino e apresentou complicações. A causa oficial da morte foi falência múltipla de órgãos.

Publicidade

Em agosto, um funcionário do programa foi assassinado

Em agosto deste ano, Ana Maria Braga também se emocionou com a morte de um colega de trabalho. O técnico de captação de som Luiz Carlos Moraes Mesquita Júnior foi assassinado no Rio de Janeiro. A apresentadora afirmou que sua equipe estava consternada e disse que Mesquita Júnior era alegre, valoroso, trabalhava durante o dia e fazia faculdade à noite.

O homem foi assassinado logo depois de lavar o carro em uma lava-jato da zona oeste da Cidade Maravilhosa.

Um homem desceu armado de um outro veículo, o abordou e o matou com um tiro. Na ocasião, um funcionário do estabelecimento também foi atingido. Encaminhado ao hospital, se recuperou bem.