A morte de um cachorro [VIDEO] dentro de uma unidade do Carrefour em Osasco, na Grande São Paulo, está repercutindo bastante nos últimos dias e muitos Famosos comentaram sobre o assunto em suas redes sociais. O caso gerou comoção nacional e muita gente está defendendo o direito dos animais.

O cantor sertanejo Eduardo Costa [VIDEO] também falou sobre o assunto, mas em sua postagem ele acabou gerando muita polêmica. O artista lamentou a morte do cão, mas comparou a repercussão com a da morte de uma idosa de 106 anos, assassinada a pauladas no interior do Maranhão.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Famosos

Eduardo Costa postou um texto pronto, em que afirma que não estava defendendo o suspeito de matar o cachorro dentro do hipermercado e classificou ambos os crimes, contra a idosa de 106 anos e contra o cão, como inadmissíveis.

Ele classificou os autores das mortes como covardes e que deveriam ser punidos exemplarmente.

Em seguida, ele disse que não tem como negar que há algo de errado em uma sociedade que fica mais indignada com a morte de um cachorro do que com a morte de um ser humano, ainda mais se tratando de uma idosa de 106 anos. Na legenda, o sertanejo escreveu. "É como eu penso e vou continuar pensando".

Talvez ele tenha usado o termo "vou continuar pensando" já ciente das críticas que receberia. E realmente Eduardo Costa foi bastante criticado pela maioria dos seguidores, mas alguns concordaram com a posição do artista sobre estes dois casos.

Entenda os dois casos

No mês passado, uma idosa de 106 anos teve sua casa, no interior do Maranhão, invadida por um criminoso. Ele estrangulou a senhora e a matou ao desferir algumas pauladas.

O caso repercutiu à época e foi divulgado nacionalmente, mas não teve repercussão do caso do cachorro agredido e morto dentro do hipermercado.

Na semana passada, o cão de rua teria sido envenenado por um segurança do Carrefour em Osasco. Em seguida, o homem teria agredido o animal com pauladas. As imagens do chão sujo de sangue repercutiram em todo o Brasil e muitas pessoas até propuseram manifestações em lojas da rede de supermercados, além de boicote de compras.

O segurança suspeito pelo crime se apresentou à polícia nesta quinta-feira (6). No caso da idosa, nada foi gravado e o suspeito do crime também acabou preso.