Eduardo Costa se envolveu em mais uma polêmica. Ele recentemente causou grande polêmica com Fernanda Lima, chegando a chamá-la de imbecil após um discurso feminista com fundo político dito pela loira em seu programa Amor e Sexo, onde ela defendia a liberdade sexual das mulheres e um suposto machismo do candidato eleito à presidência da República. Cabe ressaltar que ela não citou nenhum nome durante a fala.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, Eduardo Costa viu nas entrelinhas do discurso, um possível ataque a Jair Bolsonaro e criticou com muita ênfase a loira. Desta vez, foi a morte de cachorro em um hipermercado supostamente causada por um segurança do estabelecimento que levou o cantor a gerar a maior polêmica, novamente.

Eduardo costa se pronunciou nesta quinta (6), ironizando a morte do cachorro havia virado notícia em um país.

Publicidade

Em um meme postado e depois apagado pelo cantor, ele criticava a morte do cachorro, tornando-se mais revelante que os milhares de homicídios que acontecem no país. Para corroborar ainda mais seu pensamento crítico em relação à morte, ele ainda colocou na legenda da postagem a frase: “E o Brasil? E que comece o mi mi mi”. Logo a postagem começou a receber uma série de comentários em relação ao contexto e ao texto em si. Ele apagou na sequência a ironia.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Fofocas

Cantor Eduardo Costa gera polêmica ao relativizar a morte do cachorro em hipermercado

Eduardo Costa acabou indo na contramão de vários artistas que se solidarizam com o cãozinho. A imagem escolhida pelo cantor mostra um personagem de olhos fechados para “60 mil homicídios por ano no Brasil”. A próxima imagem, o mesmo personagem do desenho Bob Esponja surge de olhos bem abertos para ver o “segurança que matou um cachorro a pauladas”.

O Ministério Público de São Paulo instaurou inquérito para investigar as condições da morte do animal. Segundo relatos, o animal morreu 30 minutos depois ser resgatado pela prefeitura por conta de envenenamento. Ele também apresentava marcas de violência. O inquérito foi instaurado pela promotoria Cível de Osasco nesta quarta (5). Segundo ativistas, o cão foi envenenado e espancado por um segurança de uma unidade do Carrefour em Osasco, na Grande São Paulo.

Publicidade

Já o hipermercado se defende e diz que o animal realmente sofreu alguma violência nas dependências do local, mas a morte teria sido causada pela forma como o animal foi capturado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo