Publicidade
Publicidade

O programa "Estúdio I", da GloboNews, promoveu um sério debate sobre o armamento da população, nesta sexta-feira (11). O programa, normalmente apresentado por Maria Beltrão, foi ancorado por Leila Sterenberg. Tudo corria bem até que o som do famoso "gemidão" do WhatsApp interrompeu o programa e causou constrangimento nos convidados.

O "Estúdio I" entrevistava o senador Major Olímpio (PSL-SP). Durante a conversa, o jornalista Octávio Guedes caiu na brincadeira do "gemidão" do WhatsApp ao abrir a mensagem que chegou em seu aplicativo.

Publicidade

No momento em que isso aconteceu, a apresentadora lia a mensagem enviada por um telespectador.

O homem, chamado Leonardo Cabral, perguntava se o Major Olímpio tinha algum dado ou estatística que referendasse a sua defesa pela liberação da posse de arma de fogo. Quando a pergunta foi finalizada, ouviu-se o gemidão.

Todas as pessoas que estavam na bancada ficaram constrangidas com a cena. Octávio Guedes, de terno cinza, se vira, provavelmente, tentando retirar rapidamente o áudio do celular. A apresentadora Leila Sterenberg chamou o intervalo comercial.

Rapidamente, o vídeo com a imagem caiu nas redes sociais e muitos internautas comentaram sobre o assunto. No momento em que isso aconteceu, o "Estúdio I" já estava entre os assuntos mais comentados do Twitter devido ao tema polêmico que estava sendo debatido.

Major Olímpio, aliado do presidente Jair Bolsonaro, defende a liberação da posse de arma de fogo, que deve acontecer em breve com publicação de decreto assinado pelo chefe do Executivo.

Outra jornalista também foi vítima

Esta não foi a primeira vez que o "gemidão" foi ouvido na GloboNews.

Publicidade

No ano passado, a jornalista Leilane Neubarth apresentava um programa no canal fechado quando seu celular começou a tocar uma música com gemidos ao fundo. Assim como no “Estúdio I” desta sexta, houve constrangimento, apesar de ela estar sozinha, e a apresentadora chamou rapidamente o intervalo comercial.

Até um tempo atrás, a trolagem era com o e-mail de internautas que usavam nome com duplo sentido. Agora, a trolagem acontece via WhatsApp. Todo cuidado para os jornalistas é pouco. A solução para escapar do “gemidão” é ouvir o áudio sempre com um fone de ouvido.

No caso dos jornalistas, checar antes de entrar no ar para ser pego de surpresa e virar piada nas redes sociais.