Jacques Villeneuve, 47 anos, que foi campeão de Fórmula 1 no ano de 1997, ao longo de sua carreira também ficou conhecido por se envolver em polêmicas. Porém, depois de um tempo afastado das pistas, o ídolo da Fórmula 1 parecia ter posto um fim a sua carreira também nesse sentido. Mas, para a surpresa geral, Jacques voltou a atacar na última semana e os ataques em questão foram direcionados ao automobilista polonês Robert Kubica, que retomou às pistas durante o Grande Prêmio da Austrália, depois de um afastamento de nove anos.

Publicidade
Publicidade

Jacques Villeneuve aponta a garra de Robert Kubica

O motivo do afastamento de Kubica das pistas de automobilismo foi um grave acidente, sofrido no ao de 2011, durante um rali. Na referida ocasião, o piloto ficou com os movimentos do braço direito comprometido pelo acidente e isso gerou o seu afastamento da Fórmula 1. Porém, recentemente recuperado, Robert Kubica fez a sua primeira aparição em competições do tipo desde 2010, pouco antes do acidente.

Nesse sentido, em entrevista ao site Formule1, Jacques Villeneuve elogiou a garra e determinação do seu colega de profissão, mas apontou que não considera apropriado para a Fórmula 1 ter um piloto "com deficiência" competindo no esporte.

Segundo Villenueve, ele compreende os motivos pelos quais Kubica fez o possível para retornar ao automobilismo e afirma, ainda, que caso ele também tivesse perdido a oportunidade de fazer algo que ama, lutaria para ter isso de volta de todas as maneiras possíveis.

Publicidade

Uma vez que conseguisse retornar, faria de tudo para se manter no topo das competições. Porém, para Jacques Villeneuve, o retorno de Kubica não é algo positivo para o esporte de uma maneira geral, uma vez que a categoria Fórmula 1, para o ex-piloto, deve contar apenas com a “realeza dos automobilistas”, e um "deficiente" não atenderia a esses critérios. Jacques ressalta ainda que a Fórmula 1 precisa ser dura e praticamente inacessível, de forma que o retorno de Robert Kubica não manda a mensagem correta para quem deseja competir no esporte.

A opinião do ex-piloto foi veiculada ainda no ano passado, mas ele voltou a reitera-la nesse ano devido ao retorno modesto de Robert Kubica às pistas, visto que ele ocupou apenas a 17ª posição no Grande Prêmio da Austrália, que abriu a temporada 2019 da F1.

Leia tudo