Uma estátua colocada na Arena do Grêmio eternizou a passagem de Renato Portaluppi pelo time. A homenagem aconteceu no dia 25 de março, última segunda-feira, pouco depois das 19h. A estátua em questão se encontra de braços abertos, em alusão à comemoração pelo gol contra o Hamburgo, da Alemanha, em partida válida pelo Mundial de Clubes de 1983, vencida pelo Tricolor. Entre abraços distribuídos pelos torcedores e demais membros do Grêmio, a homenagem eternizou o ídolo que, segundo Romildo Bolzan Júnior, considerado um dos grandes dirigentes da história gremista, pode ser considerado a definição de todos os valores do Tricolor gaúcho.

Publicidade

Depois do discurso de Bolzan, que possui uma excelente relação com Portaluppi, o homem partiu diretamente para abraçar o técnico. Sob a presença de mais de oito mil torcedores do Grêmio, o momento não passou despercebido, e foi bastante emocionante. Após a entrevista coletiva, ocorrida depois da revelação da estátua, a dupla voltou a se abraçar, dessa vez com ainda mais vigor.

Ainda na ocasião da coletiva, Romildo destacou a importância de Renato para o Grêmio. O dirigente apontou que, atualmente, o clube vive uma excelente fase e um bom momento de sua história.

Essa fase, por sua vez, se deve à presença de Renato como técnico do clube, e Bolzan faz questão de salientar que, além desses motivos para a homenagem, ela também se deu por fatores de ordem pessoal, como o senso de justiça de Renato, e o fato de que ele o considera um grande homem, pai e cidadão.

Renato Gaúcho atende cerca de 9 mil torcedores do Grêmio durante a homenagem

Ainda que estivesse bastante nervoso com a homenagem recebida, de acordo com o próprio Renato, ele não poderia ignorar a presença dos torcedores do clube na Arena.

Publicidade

Presentes para homenagear o seu ídolo, os gremistas também foram recebidos com abraços e conseguiram tirar fotos com Renato.

O ex-jogador declarou a sua atitude para com a torcida advém do desejo de que eles saibam a importância que possuem para o Grêmio e para o próprio Renato. Ele disse, ainda, que gostaria que esses abraços atingissem a todos os 7 milhões de torcedores que o time possui atualmente, dada a impossibilidade de abraçar um número tão alto de pessoas. E, por fim, destacou que tudo foi feito de coração.

A escolha da pose da estátua se deu, ainda, pelo comportamento de Renato Portaluppi durante as partidas que disputou pelo Grêmio. Ao marcar um gol, a única coisa que o ex-jogador parecia desejar era encontrar os seus companheiros de time e abraça-los nas suas comemorações.