O processo movido por Rodrigo França contra Paula Von Sperling por intolerância religiosa ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira (18). A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), após analisar vídeos de comentários polêmicos da campeã do BBB19 concluiu que houve preconceito da mineira contra o colega de confinamento. Diante dos fatos, a advogada será indiciada e o processo encaminhado para a Justiça.

'Não se pode violar a dignidade da pessoa humana', informou nota divulgada pela Decradi

Paula foi uma das participantes mais polêmicas da última edição do Big Brother Brasil [VIDEO], e seus atos estão refletindo fora do confinamento.

Publicidade
Publicidade

Após dizer que temia o ex-participante Rodrigo por ele ter contato com "esse negócio de Oxum", a mineira sofreu com diversas críticas dos internautas que acompanharam o programa.

Assim que deixou o jogo, Rodrigo anunciou que tomaria providências contra Paula e que abriria um processo contra a mineira por conta de seus termos, considerados preconceituosos, dentro do reality show, e assim o fez.

Paula saiu como vitoriosa do BBB19, mas não conseguiu escapar de prestar depoimento na delegacia para explicar sobre o fato ocorrido dentro do reality.

DecradiI analisou imagens do programa e decidiu indiciar Paula. (Reprodução/Rede Globo)
DecradiI analisou imagens do programa e decidiu indiciar Paula. (Reprodução/Rede Globo)

Na última segunda-feira (15), a mineira esteve na delegacia e por duas horas foi ouvida pela Polícia. Ao deixar o local, orientada pela irmã, que também é sua advogada, a campeã do BBB19 saiu sem falar com a imprensa, fazendo questão de cobrir o rosto.

Segundo decisão tomada pela Decradi e informada hoje (18), declarações de Paula demonstram preconceito: "Após a oitiva dos envolvidos, análise de vídeo e demais diligências realizadas, concluiu-se pela ocorrência de injúria por preconceito (art.

Publicidade

140 §3º do Código Penal), que acarretou o indiciamento de Paula von Sperling Viana.", informou a nota, que fez questão de frisar que o órgão se pauta pelo respeito à liberdade de expressão, mas não se pode violar a dignidade da pessoa humana.

A polícia ainda repudiou qualquer tipo de ato ofensivo à religião, etnia, orientação sexual, procedência geográfica, etc.

Rodrigo disse ter ficado chocado ao ver as declarações de Paula

Logo que deixou o confinamento, Rodrigo tomou ciência de tudo que aconteceu envolvendo seu nome dentro do jogo, e em conversa com o Jornal Extra revelou que ficou chocado e entristecido com as palavras de Paula sobre sua pessoa e religião.

Na ocasião, o ex-BBB contou que assistiu a todos os vídeos e mesmo sendo vítima dos comentários polêmicos e sendo eliminado do programa concluía que teria seguido pelo caminho certo enquanto fez parte do programa.

O Delegado que cuidou do caso também conversou com o Extra e informou que na próxima quarta-feira (24) o processo será encaminhado ao Ministério Publico que decidirá em arquivar, demandar novas diligências, ou denunciar: “Havendo a denúncia, teremos um processo crime em andamento”, anunciou.

Publicidade

Leia tudo e assista ao vídeo