Segundo a Polícia Civil de São Paulo, órgão responsável pelas investigações do caso Caroline Bittencourt, Jorge Sestini será mesmo indiciado pela morte da modelo, com quem era casado desde janeiro deste ano. A informação foi divulgada pelas autoridades nesta segunda-feira (6), e Jorge será acusado de homicídio culposo, quando não se tem a intenção de matar.

Carol era modelo e morreu após cair da lancha do casal em Ilhabela, no último dia 28 de abril.

As informações iniciais davam conta que a modelo havia saltado ao mar para salvar seus cachorrinhos de estimação, que haviam caído da lancha. Já a filha da modelo, Isabelle Bittencourt, que segue os passos da mãe, revelou em nota no seu Instagram, que a morte aconteceu em situação diversa a apontada anteriormente.

Segundo Belle, a mãe, na verdade, foi lançada ao mar, depois da ventania que atingiu o barco do casal.

O mesmo aconteceu com os cães. Vendo a situação da esposa, Jorge teria saltado ao mar para salvá-la. Os dois ainda nadaram por algum tempo, mas Caroline Bittencourt não teria conseguido se manter sobre a água, por conta do cansaço, e acabou morrendo afogada.

O marido da modelo, que é empresário e atleta, conseguiu nadar por cerca de três horas, até que encontrou um marinheiro que o resgatou. Na sequência, eles ainda tentaram encontrar a mulher desaparecida, mas o corpo de Carol só foi encontrado pelos Bombeiros há alguns quilômetros do local do acidente, no dia seguinte, e possivelmente afogada.

A Polícia, entretanto, aguarda o laudo da perícia do barco e da necrópsia, para poder entender, exatamente, o que aconteceu naquele fatídico dia.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Fofocas

Polícia indiciará Jorge Sestini por homicídio

Apesar de tentar salvar a esposa, segundo a Polícia Civil, Jorge assumiu riscos quando decidiu navegar em condições de clima adversas. O delegado que investiga a morte da modelo, Vanderlei Pagliarini, já revelou que decidirá pelo indiciamento do marido. A decisão surgiu, exatamente depois da oitiva de uma das testemunhas.

O dono da marina, de onde partiu a lancha de Jorge Sestini e Carol Bittencourt, teria alertado o casal que o tempo não era bom e, mesmo diante do alerta, o marido da modelo morta teria decidido seguir a viagem marítima.

Diante deste cenário, a polícia viu indícios de conduta culposa do homem e as autoridades policiais irão seguir com o inquérito. A polícia ainda fala em "negligência", que gerou a morte de Carol.

Lenildo de Oliveira é dono da garagem náutica onde a lancha ficava guardada. O homem alertou as "viradas de clima", mas mesmo assim Jorge seguiu com sua viagem de São Sebastião, local da partida, até Ilhabela, onde aconteceu o acidente.

Ainda segundo Oliveira, o comunicado foi recebido por Jorge, que o agradeceu, por volta das 15h40 do dia do acidente, em mensagem de WhatsApp, mas tranquilizando-o, dizendo que já estava retornando.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo