Integrante de duas importantes bandas de metal do rock brasileiro, Angra e Shaman, o músico André Matos, aos 47 anos, morreu na tarde deste último sábado (8). A informação foi postada pelos outros integrantes da banda Shaman através das redes sociais. De acordo com o portal UOL, a causa da morte do músico foi um ataque cardíaco.

“É com profunda dor em nossos corações que nos despedimos do André mais uma vez”, dizia um trecho do comunicado escrito pelo baterista Ricardo Confessori, em um post no Instagram.

Antes ele relembrou as reuniões e separação do grupo e destacando que agora o adeus se dará de forma definitiva. “Restará pra sempre o melhor dele em nossos corações”, seguiu a mensagem assinada por todos os integrantes da banda.

No último domingo (2), o Shaman havia feito uma apresentação no Teatro das Américas, em São Paulo. A banda tinha um show agendado para o dia 13 de julho, Dia Mundial do Rock, na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, no interior paulista.

Fundou as bandas Angra e Shaman

Nascido em 14 de setembro de 1971, em São Paulo, André Matos desde criança estudava teclado e piano e era reconhecido como um dos maiores vocalistas do metal brasileiro. Após trabalhar na banda Viper, fundou o Angra no início da década de 1990 junto com os amigos Rafael Bittencourt e André Linhares.

A banda foi um grande sucesso, tendo feito turnês em vários países, o que lhes deu projeção mundial.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Música

"Angels Cry" (1993) e "Holy Land" (1996), além de diversos EPs, venderam juntos mais de um milhão de cópias.

Após desentendimentos com empresários, em 2000 ele deixou a banda para formar o Shaman, junto com Luis Mariutti e Ricardo Confessori, que também faziam parte do Angra e essa formação durou até 2006. Desde 2007 também desenvolvia um trabalho solo e no ano passado os integrantes haviam novamente se juntado para uma turnê comemorativa.

Amigos e ex-companheiros lamentam a morte

O baixista do Angra, Felipe Andreoli, também fez uso das redes sociais para lamentar a morte do co-fundador da banda que hoje é sua casa. "Um ícone respeitado e admirado mundialmente, infelizmente vai cedo demais", escreveu o músico, que disse alimentar a expectativa de que bem breve pudessem dividir o palco em celebração aos 30 anos do Angra.

"Um dia que ficará na história por marcar uma das perdas mais impactantes para o mundo do heavy metal mundial", disse Edu Falaschi, que assumiu os vocais do Angra logo após a saída de André Matos da banda.

"Estou chocado, muito triste", postou Felipe Machado, amigo de infância e ex-companheiro dos tempos de Viper. "Não sei o que pode ter acontecido, só sei que o Brasil perde o nosso maior vocalista de rock", escreveu.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo