Em declarações ao portal UOL, durante o 47º Festival de Gramado, o ator e autor Miguel Falabella declarou que não pretende renovar o seu contrato de exclusividade com a Globo. O contrato do ator e autor está próximo o final de sua vigência e conta somente com mais um ano e meio.

Durante o festival, Falabella lançou o filme "Veneza". A respeito do contrato com a Globo, ele declarou que, por vezes, sente-se preso, visto que a exclusividade impossibilita a negociação com outros canais e serviços de streaming.

Nesse sentido, o ator declarou que deseja mais liberdade. Ele ainda ressaltou que caso a Globo recuse um projeto seu, ele não poderá fazer nada a respeito disso, visto que não poderá negociar em outros locais.

A fala de Miguel Falabella aconteceu enquanto comentava a série "Eu, Minha Vó e a Boi", que estreará no serviço de streaming Globoplay, e que, posteriormente, será exibida na TV aberta. Durante o seu comentário, o autor destacou que o futuro da produção atualmente é incerto. O motivo para tal é o fato de que o responsável pela direção da série trocou a Globoplay pela Amazon.

Falabella ainda destacou que o diretor de "Eu, Minha Vó e a Boi" gostava muito do projeto, mas ele não poderia levar a série a outro lugar devido à exclusividade do seu contrato.

A série foi baseada em uma história postada por Eduardo Hanzo em sua conta do Twitter, ainda no ano de 2017. Na versão televisiva do projeto, as idosas arqui-inimigas serão vividas por Vera Holtz e Arlete Salles.

Ao todo, a primeira temporada contará com 12 episódios.

Ainda sobre "Eu, Minha Vó e a Boi", Falabella comentou que uma das senhoras chegou ao ponto de colocar uma câmera no quintal para ver quem estava retirando as suas roupas do varal. Após descobrir, a idosa deixou a sua casa acompanhada de uma espingarda e realizou alguns disparos na direção da casa da rival.

Ele ainda deu alguns spoilers acerca do que esperar dos personagens coadjuvantes da trama: exposição na internet, prostituição e “um mundo louco”.

Negociações sobre 'Veneza'

Ainda durante o Festival de Gramado, Miguel Falabella afirmou que somente aceitou participar de "Sai de Baixo: O Filme" para conseguir negociar a produção de "Veneza" com a Globo.

Ao falar a respeito desse assunto, o autor não conseguiu disfarçar que estava desapontado com o descaso da emissora pelo projeto.

De acordo com ele, depois que o filme foi apresentado à Globo e as pessoas acabaram gostando dele, os olhares em sua direção são mais positivos. Entretanto, antes que "Veneza" fosse finalizado, ninguém parecia se importar com o projeto.

Falabella afirmou ainda que chegou a pedir ajuda quando a Ancine (Agência Nacional do Cinema) negou que uma parte do orçamento do filme fosse liberada. Porém, segundo ele, ninguém fez nada e o dinheiro para dar continuidade à produção precisou sair de seu próprio bolso, sendo posteriormente pago pela agência.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!