A cegueira de Maria da Paz (Juliana Paes) em relação à filha Josiane (Agatha Moreira) parece ter chegado ao fim. Tudo vai acontecer quando ela for visitar a filha na prisão, a boleira receberá um pedido para mentir em seu julgamento. Porém, cansada das armações de sua filha, Maria se recusará e irá dizer que a vilã terá que pagar por seus atos, mostrando que ela não é mais cega quanto às atitudes da filha.

Essa cena vai ao ar após Jô ser desmascarada e acusada por Téo (Ranier Cadete) pelo o assassinato de Jardel (Duio Botta). Téo sofrerá um atentado e ficará muito ruim no hospital, porém, ele vai se recuperar e entregará à polícia a fotografia que mostra a megera empurrando o mordomo.

Josiane será presa e Régis (Reynaldo Gianecchini) será inocentado.

Diante de sua situação ruim, a personagem de Agatha Moreira tentará colocar toda sua família para depor a seu favor, mas somente Evelina (Nívea Maria) irá mentir para protegê-la. Amadeu (Marcos Palmeira) e sua mãe não aceitarão fazer parte da farsa.

A conversa

Durante o encontro na cela da prisão, Maria irá esbravejar com a filha e a proibirá de chamá-la de “mãezinha”, dizendo sentir arrepios quando é chamada assim. Do outro lado, Jô irá expor seu lado falso falando que ainda é sua filha, apesar de errar algumas vezes.

Maria rebaterá dizendo que a acusação de assassinato é muito grave e que ela soube que Josiane também tentou matar Téo.

A aspirante a influenciadora defendeu-se falando que não tentou matar ninguém e ainda apela para o emocional a chamando de “mãezinha” novamente. Diz que a confeiteira precisa ajudá-la em depoimento no tribunal e coloca-se como inocente em toda história.

O plano de Jô é fazer com que a mãe, que tem uma boa reputação, diga que no dia da morte de Lucas (Kainan Ferraz) ela esteve em casa e não saiu hora nenhuma.

O álibi de Jô

Maria da Paz irá ouvir a filha dizer que, fora a fotografia tirada por Fabiana (Nathalia Dill), não existe nenhuma outra prova que a ligue ao crime, e finaliza falando que conta com o apoio da família para sair dessa e que poderia “criar uma história”.

Após ouvir isso, a boleira ira se descontrolar e começará a gritar afirmando que tinha acreditado que seu ex-marido era o assassino, pois não queria ver a verdade.

Mas que agora não iria fechar mais os olhos para as mentiras da filha.

A confissão

Por fim, após ver ser inútil seu “teatro”, Josiane irá confessar o crime e ainda deixará claro que se arrepende somente de não ter pego todo o dinheiro da mãe. Diante desses absurdos, Maria diz que agora vê quem ela realmente é e que o seu sangue é de gente ruim mesmo.

Após essas cenas fortes, Maria será consolada por Joana (Bruna Hamú) e dirá que queria ela como filha: "eu queria que a Josiane fosse tudo que cê é".

Siga a página Novelas
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!