Manuela Dias e José Luiz Villamarim foram escalados pela Globo para comandar o horário nobre com a novela "Amor de Mãe", que estreou na última segunda-feira (25). A autora e o diretor, respectivamente, apresentam sofisticação em seus projetos, como a minissérie "Justiça", de 2016.

Os dois estão desenvolvendo "Amor de Mãe" há quase três anos e somente a cena de abertura da trama já é o bastante para servir de cartão de visitas para o projeto. Na cena, Lurdes (Regina Casé) faz uma entrevista de emprego para se tornar babá do filho de Vitória (Taís Araújo).

O telespectador escuta a conversa entre as duas com a câmera focada no rosto de Lurdes. Em nenhum momento, Vitória é mostrada nessa sequência.

A respeito da cena, o diretor revelou ao UOL que gosta de filmar dessa maneira para dar uma noção de realismo às suas tramas. Desse modo, ele não lança mão de truques por acreditar que a solução não está na montagem, mas sim no set e na maneira como uma cena é feita.

Manuela, por sua vez, ao comentar a respeito de "Amor de Mãe", afirma que está há 22 anos na Globo esperando exatamente pela sua chance de ocupar o horário nobre.

A autora ainda pontuou que é noveleira e se lembra exatamente do último capítulo de "Guerra dos Sexos", de 1983.

Na ocasião em que tal capítulo foi exibido, ela tinha apenas 7 anos de idade e chegou a dizer para a sua mãe que sentiria saudades dos personagens, visto que nunca mais teria contato com eles.

Ao longo de sua trajetória na Globo, Manuela Dias chegou a colaborar com Mauro Wilson na série "Aline" (exibida entre 2009 e 2011), com Thelmas Guedes em "Cordel Encantado" (2011) e em "Joia Rara" (2013) e também com Geraldo Carneiro em "Faça Sua História" (2008).

Ausência de vilões em 'Amor de Mãe'

Um ponto que vem chamando bastante a atenção sobre "Amor de Mãe" é a ausência de violões como um recurso de construção de arco dramático. A respeito disso, Manuela Dias chegou a dizer que o verdadeiro vilão da trama é a própria vida.

A ausência de um recurso tão tradicional em Novelas está ligado ao fato de que a autora tem preferência por personagens que apresentem várias dimensões, sem ter integralmente bons ou ruins, de forma que em "Amor de Mãe" essas nuances serão observadas.

Ainda de acordo com a autora, as próprias protagonistas de sua trama cometeram erros terríveis ao longo da vida, que serão descobertos com o desenrolar da novela. Entretanto, esses erros não fazem delas pessoas essencialmente ruins.

De maneira análoga, o personagem Álvaro (Irandhir Santos), não será exclusivamente mal: ele será capaz de alguns atos de maldade, mas isso não se tornará o fio condutor da história, de acordo com Villamarim.

Para Manuela Dias, essa ausência de um vilão definido é algo essencial em "Amor de Mãe", visto que representa o seu próprio ponto de vista sobre a vida: existem pessoas egoístas, que são capazes de atitudes horríveis, mas mesmo elas possuem alguém no mundo.

Para ilustrar, a autora chegou a citar a personagem Cersei, da série norte-americana "Game Of Thrones".

Siga a página Novelas
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!