De acordo com o jornalista Flávio Ricco, do UOL, o ano de 2020 será ainda mais intenso no que se refere às disputas relacionadas aos serviços de streaming.

Assim, segundo Ricco, isso explica os motivos pelos quais o setor de dramaturgia da Globo está tão preocupado com a definição de projetos ligados à Globoplay, plataforma de streamings da emissora, de forma que o catálogo possa ir além dos títulos internacionais atualmente oferecidos pelo serviço.

Nesse sentido, para o jornalista em questão, a decisão de produzir a segunda parte da novela "Verdades Secretas", exibida ainda em 2015, para a Globoplay, foi uma das responsáveis por demonstrar essa preocupação e não existe outro comportamento possível para a Globo atualmente.

Portanto, de acordo com Flávio Ricco, ainda que a TV aberta possua “boa saúde” e alguns bons anos pela frente, a preocupação com os streamings deveria partir de todos os canais. Entretanto, chama a atenção do jornalista que nenhuma outra emissora brasileira tenha dado a atenção devida a esse assunto –especialmente a RecordTV e o SBT.

Para Flávio Ricco, ignorar esse tipo de plataforma é algo que poderá causar um grande prejuízo para as emissoras citadas e esse prejuízo, por sua vez, poderá ser irreversível.

Produções para serviço de streaming

Ainda sobre "Verdades Secretas 2", o jornalista afirmou que a decisão de produzir a segunda parte da trama de Walcyr Carrasco para a Globoplay foi anunciada por Silvio de Abreu. Devido a isso, somente em um futuro –que sequer foi determinado– a trama será veiculada na TV aberta.

Além disso, o jornalista ainda pontou que vários atores estão seguindo para os serviços de streaming e deixando a TV de lado. Nesse sentido, Ricco citou o exemplo de Bruno Gagliasso, que assinou com a Netflix e, atualmente, apesar de sua escolha, está em bons termos com a Globo.

Ainda sobre esse tópico, o colunista do UOL pontuou que Bruno parece compreender que está na hora de se afastar um pouco da TV aberta e o seu posicionamento não foi mal recebido pela emissora, de forma que não existem ressentimentos.

Entretanto, segundo Flávio Ricco, esse é o momento em que o ator poderá definir o seu futuro e também traçar para ele outras possibilidades de trabalho, que se distanciem das novelas. Essas possibilidades podem, inclusive, estar ligadas à própria Globo, caso sejam interessantes para ele.

Sobre as demais emissoras, é possível afirmar que Ricco destaca o incômodo da Record com as suas constantes derrotas para o SBT aos domingos, especialmente no período da manhã e da tarde.

Devido a isso, a emissora de Edir Macedo está preparando uma reação, que virá na forma de um programa comandado pela apresentadora Sabrina Sato.

Além disso, o colunista do UOL ainda apontou que a produtora Floresta, de Elisabeta Zenatti, entrará na empreitada de ajudar a Record com a sua programação. Tal produtora detém programas como "De Férias com o Ex", "Lady Night" e "Quem Quer Ser Um Milionário".

Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!