O ano de Anitta parece que não acabará muito bem, pois ela terá uma dor de cabeça para resolver. O DJ Polyvox pretende entrar com um processo contra a cantora, depois de ela ter lançado uma bebida com o nome da marca do DJ, a Skol Beats 150 BPM.

Em seu Instagram, o DJ Polyvox resolveu divulgar uma carta aos seus seguidores, ele contou que moveu contra a Ambev um processo pois a empresa é responsável pela distribuição da bebida, mas que mesmo assim irá entrar na Justiça contra a cantora Anitta num processo a parte.

Na carta em seu Instagram, Polyvox contou que criou o movimento 150 BPM.

Na época, ele viu seu filho bater insistentemente em uma garrafa de vidro, e notou que aquela batida poderia virar música.

Polyvox captou o ritmo, descobriu o compasso e começou a mixar com instrumentos diferentes, dali saiu o primeiro funk com 150 batidas por minuto.

O DJ relembrou o sucesso que sua criação teve, e a fama que ela trouxe. Inclusive Polyvox tem uma tatuagem em seu braço com o número 150.

Anitta diz que a autoria do produto é dela

A cantora Anitta, juntamente com a empresa de bebidas Ambev, lançou uma bebida com o nome da marca registrada do DJ Polyvox.

Segundo o DJ, o diretor de clipes Kondzilla chegou a entrar em contato com ele para que fosse gravado um vídeo sobre a criação do 150 BPM, mas nunca disse que se tratava de uma ação de publicidade. Polyvox ainda garante que não assinou nenhum contrato nem nada autorizando o uso de sua marca.

Juntamente com sua representante legal, o DJ entrou na Justiça contra a Ambev e contra Kondzilla. O processo está tramitando na Comarca de São Paulo, defendendo que o DJ Polyvox é dono da marca e ela foi usada sem autorização prévia numa publicidade.

No sábado (21), uma decisão do desembargador Natan Zelinsche, diz que a marca é associada diretamente à imagem do DJ Polyvox. Como a mesma consta na embalagem da Skol Beats 150 BPM sem a autorização do criador, as propagandas devem ser interrompidas.

A Justiça ainda vai acionar a Ambev e Kondzilla para que entrem com recurso sobre a decisão se desejarem.

O DJ ainda pretende entrar com um processo contra Anitta, pois, segundo ele, a cantora diz que a autoria do produto é toda dela.

Polyvox disse que a autoria do produto não é de Anitta, pois foi ele o criador do movimento. "Ela diz que a autoria do produto como um todo é dela. Como pode ser dela se eu criei o movimento? Igual fez com a Ludmilla", atacou o DJ.

Polivox disse que não pretende se promover à custa de ninguém e ainda garantiu que adoraria ter sido envolvido no projeto como sócio. Ele ainda disse que o "favelado" ganhou uma voz e que tem como provar cada palavra de sua carta.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

DJ Polyvox finalizou, afirmando que "não é porque ele é negro, pobre e da favela que é burro", em uma clara mensagem direta à cantora e aos distribuidores da bebida.

Não perca a nossa página no Facebook!