Nesta última segunda-feira (23), a produtora das novelas da Record, a Casablanca, demitiu a maioria dos 29 técnicos que enviou ao Marrocos para realizar a gravação da novela "Gênesis". As informações são da coluna de Daniel Castro, do site Notícias da TV.

Entre os funcionários da emissora que foram demitidos estavam profissionais que faziam parte de áreas como da produção, iluminação, figurino, maquiagem, cabelo e continuidade para a produtora que realizava os projetos das novelas que são exibidas pela emissora.

Eles chegaram do país africano na noite do último no sábado (21). Os funcionários voltaram ao Brasil em um voo fretado pela Record.

Muitos dos funcionários da emissora agora precisam ficar isolados de seus familiares e cumprir as orientações que foram dadas para evitar que aconteça o contágio pelo novo coronavírus, como vem sendo alertado para a população em geral.

Demissão em massa 48 horas depois da chegada

Alguns dos funcionários da emissora apresentaram sintomas de gripe. No entanto, até o momento, a Casablanca confirmou que foram realizados os cortes em seus funcionários, mas não comentou a respeito do assunto e por qual motivo os funcionários em questão haviam sido desligados da produtora.

Além disso, também aconteceram algumas demissões na equipe que faz parte da gravação da novela bíblica nos Estúdios Casablanca, Rio de Janeiro, e também na trama "Amor Sem Igual", que vai ao ar pela emissora.

As gravações da novela "Gênesis" haviam sido interrompidas na última semana, e havia sido alertado que as gravações ficariam desta forma por tempo indeterminado. Os funcionários que foram demitidos tinham um contrato por obra certa.

Os funcionários ficaram divididos entre decepcionados e revoltados com a postura da Casablanca ao ouvir que a empresa não teria como manter equipes grandes durante este período, e também porque é remunerada da mesma forma que eles, ou seja, pelo que é produzido por ela somente, e que, além disso, estaria trabalhando com um orçamento reduzido.

A produtora, no entanto, prometeu que os funcionários que foram dispensados agora serão chamados pela produtora logo quando as gravações da trama voltarem a acontecer.

As demissões serviram como um grande balde de água fria para os funcionários depois que os mesmos passaram por grandes dificuldades nas gravações que aconteceram no deserto.

Isso porque cerca de 44 profissionais da Record, entre atores, diretores, técnicos e outros viveram alguns momentos de muita tensão quando o governo do Marrocos havia decretado que as fronteiras seriam fechadas, e que também eles deveriam parar com as gravações que estavam acontecendo da novela "Gênesis", no dia 18 deste mês.

Não perca a nossa página no Facebook!