Nesta segunda-feira (13), a advogada do ex-participante do "Big Brother Brasil 2020" Felipe Prior, publicou um vídeo no qual afirma que seu cliente é inocente das acusações de abuso que vem sofrendo recentemente. Não parando por aí, a profissional ainda afirma que irá processar quem divulgar "acusações falsas" contra o arquiteto.

De acordo com Carolina Pugliesi, Felipe Prior jamais cometeu qualquer tipo de violência, ressaltando que todas as denúncias feitas contra o mesmo são de pessoas anônimas e, até o momento, o nome das supostas vítimas não foi revelado. A defesa, segundo ela, não pôde ter acesso ao inquérito policial.

"Felipe Prior é inocente", afirma a advogada.

Carolina Pugliesi continuou dizendo que seu cliente está sendo cercado em sua defesa, pois, até o momento, ainda não foi informado sobre quem o está acusando, sem informações sobre a seriedade da denúncia e, mesmo diante de tais fatos, muitas pessoas continuam replicando manifestações ao redor das redes sociais, com informações que, segundo ela, foram mentiras planejadas para expor Felipe Prior após adquirir uma grande notoriedade dentro da mídia nacional.

“Há crime de quem faz acusações falsas e de quem difunde essas falsidades. Todos esses agressores e criminosos serão processados por Felipe Prior”, conluiu.

Entenda o caso

Após sair do "Big Brother Brasil 2020" com 56,73% dos votos do público em um paredão disputado com as sisters Manu Gavassi e Mari Gonzalez, Felipe Prior foi acusado de violentar duas mulheres e tentar violentar outra.

O fato deu início no dia 17 de março, quando a advogada Maíra Pinheiro, responsável pelos casos, protocolou uma notícia-crime sobre o fato para o Departamento de Inquérito do Fórum Central Criminal.

Os casos ocorreram, de acordo com a advogada, nos anos de 2014, 2016, e 2018, indo a público com uma matéria realizada pelo site Marie Claire. De acordo com as informações, as três meninas não realizaram boletim de ocorrência por se sentirem envergonhadas diante do caso.

Segundo a advogada Maíra Pinheiro, uma colega de universidade de Felipe Prior, após ver a chamada do arquiteto para participar do "Big Brother Brasil 20", decidiu ir até seu Twitter para realizar uma postagem, afirmando que conhecia e rapaz e que o mesmo, tempos atrás, havia sido impedido de entrar no InterFau 2019 por conta de denúncias de assédio contra mulheres.

Após a publicação, duas mulheres que o acusam entraram em contato com a universitária. Após, ambas procuram meios legais, chegando até as advogadas Maíra Pinheiro e Juliana Valente. Apurando todos os fatos e denúncias, conseguiram chegar a terceira suposta vítima.

Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!