Nesta segunda-feira (13), a advogada de Felipe Prior, ex-participante do “BBB Big Brother Brasil 20”, Carolina Pugliesi Ribeiro, publicou um vídeo no qual afirma que o ex-BBB é inocente de todas acusações de abuso que estão sendo feitas contra ele na Justiça. Além disso, a advogada do ex-BBB ainda diz que irá processar todos que divulgarem acusações falsas contra Prior.

Carolina diz que Felipe Prior nunca cometeu nenhum tipo de violência sexual, e ressalta que até o momento todas as denúncias feitas contra o ex-reality foram realizadas anonimamente, ou seja, até agora ainda não se sabe o nome das supostas vítimas de Prior.

Carolina Pugliesi conta que a defesa do ex-confinado ainda não conseguiu acesso ao inquérito policial. “Embora tenha tentado obtê-la”, ressalta a advogada.

Advogada diz que Prior está restrito a defesa

A defensora de Felipe Prior alega que o mesmo está sendo restrito em sua defesa, já que nem ao menos foi informado o nome de quem está lhe acusando. Além disso, Carolina ainda diz que a opinião pública não tem informações sobre a seriedade de tal denúncia contra o ex-BBB, mas ressalta que, mesmo assim, alguns internautas utilizam as redes sociais para realizar manifestações de ódio sobre essas mentiras, que segundo a advogada, foram planejadas quando Prior acabou se tornando conhecido nacionalmente.

Por fim, a advogada de Felipe Prior diz que é crime a prática de acusações falsas e também de quem “difunde essas falsidades”.

Diante disso, Carolina afirma que todos agressores e criminosos serão processados pelo ex-BBB.

Felipe Prior é acusado de abuso

Na sexta-feira (3), o Ministério Público de São Paulo solicitou a instauração de um inquérito policial para apurar denúncias realizadas por três mulheres contra Felipe Prior. Duas vítimas alegam terem sido abusadas pelo arquiteto, e uma terceira diz ter sofrido uma tentativa de abuso.

Agora, a ação contra o ex-BBB está correndo sob sigilo judicial, e Prior nega todas as acusações.

Maíra Pinheiro, advogada das três supostas vítimas do arquiteto protocolou no dia 17 de março, uma noticia crime relatando os três casos para o Departamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal. De acordo com informações, os supostos crimes teriam ocorrido nos anos 2014, 2016 e 2018.

As denúncias realizadas contra o ex-confinado global vieram a público através de uma reportagem divulgada em primeira mão pela revista Marie Claire. Durante o relato concedido à revista, as supostas vítimas do arquiteto alegam não terem realizado um B.O. por se sentirem envergonhadas com os acontecimentos. Após a repercussão do caso, a advogada Maíra Pinheiro ainda afirmou desejar a proibição de qualquer contato entre Felipe Prior e às vítimas, por qualquer mio de comunicação, inclusive, “terceiras pessoas”.

Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!