Felipe Prior, que saiu do 'Big Brother Brasil' na última terça-feira (31), com 56% dos votos, foi acusado de abusar de duas mulheres e de tentar violentar uma outra, de acordo com informações da revista Marie Claire. Há o depoimento de três mulheres até o momento, e segundo as supostas vítimas, os episódios teriam acontecido entre 2014 e 2018.

Inquérito contra Prior

O documento com as acusações das três mulheres foi registrado no Deportamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal, no último dia 17 de março, por duas advogadas, Maira Pinheiro e Juliana de Almeida, para que com este registro fosse aberto um inquérito que possa investir os casos pelos quais Prior é acusado.

A revista Marie Claire teria tido acesso ao documento registrado. O agora ex-brother foi procurado para que ele se manifestasse sobre estas acusações, porém, ele não respondeu às perguntas, segundo o relato da própria revista.

Prior teria abusado de duas mulheres

Os relatos das três supostas vítimas seriam semelhantes. Em um dos relatos, uma das mulheres revela que teria pego uma carona com Prior após uma festa, e ele teria desligado o carro e a atacado. A suposta vítima relata que por estar bêbada, ela não conseguiu se defender e o parar, mas ressaltou que teria deixado claro que não queria ter relações com ele. De acordo com a Marie Claire, Prior teria dito que no fundo ela queria e que ela parasse de "ser fresca" e que ela não se fizesse de difícil.

A suposta vítima ainda relatou que o abuso teria deixado as suas partes íntimas machucadas, com uma abertura de três dedos, que era profundo ao ponto de conseguir chegar ao músculo da genitália.

Prior foi proibido de frequentar evento

Segundo os relatos ouvidos e passados para a Marie Claire, ao longo de jogos universitários que Prior participou em 2016, ele teria tentado abusar de uma jovem que hoje em dia tem 24 anos.

Já no mesmo evento, mas em 2018, ele teria abusado de uma outra garota, que também estaria bêbada e não conseguiu reagir. De acordo com a revista, nesta situação Prior teria agido de uma maneira violenta novamente.

Antes de Prior entrar no 'Big Brother Brasil', nem a faculdade, as supostas vítimas e a atlética da faculdade teriam prestado queixa sobre o assunto.

O assunto começou a ser repercutido em janeiro deste ano por meio das redes sociais, em que algumas pessoas, em especial mulheres, relataram que ele teria um comportamento negativo ao longo da faculdade.

Os membros organizadores da InterFAU teriam sido questionados sobre a veracidade destas informações em 27 de março por alguns internautas, e em resposta a moça da web teriam dito que eles têm ciência dos fatos e da repercussão, e que se pronunciarão quando for o momento correto. Segundo a Marie Claire, houve uma tentativa de contato com comissão organizadora do evento, mas sem qualquer resposta.

Atualmente tramita uma medida cautelar para que Prior não possa manter contato ou chegar perto das supostas vítimas e testemunhas da situação, inclusive por internet.

O pedido foi feito pelas advogadas que protocolaram a denúncia, e ainda aguarda uma resposta definitiva.