O cantor sertanejo Gusttavo Lima foi um grande sucesso durante a realização de suas dua lives feitas a partir de sua própria residência. Porém, o que era para ser um evento que leva alegria e entretenimento às pessoas, pode estar com os dias contados. Isso porque o Conar (Conselho de Nacional de Autorregulação Publicitária) resolveu abrir um processo contra o cantor devido ao uso excessivo de bebidas alcoólicas em suas transmissões. Porém, o resultado disto foi um desabafo do cantor em suas redes sociais na noite da última quarta-feira (15) dizendo que não irá realizar novas lives pelo fato de ter sido censurado.

A decisão de Gusttavo Lima

Em seu desabafo no Twitter, o sertanejo Gusttavo Lima revelou que o grande segredo dessas transmissões online é "tirar o lençol do fantasma". Ele continua afirmando que um show quando é considerado 'engessado' e quando é considerado politicamente correto, ele julga perder a graça. A alegria e as brincadeiras é considerada a parte boa dessas lives, levar uma clima de alto astral para aquelas pessoas que estão em um momento de agonia: "Não farei live para ser censurado".

Sobre o lado beneficente do show, ele diz que o resultado do espetáculo foi a ajuda a várias pessoas que estavam necessitando e finaliza falando que foram várias toneladas de alimentos e arrecadações de outros materiais:"Fizemos o nosso papel".

Conar X Gusttavo Lima

O Conselho de Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar) realizou a abertura de uma representação ética contra as ações de publicidade nos dois shows realizados: "Live Gusttavo Lima - Buteco em Casa e "Buteco Bohemia em Casa". Estas apresentações ocorreram, respectivamente, nos dias 28 de março e 11 de abril.

Segundo o Conar, algumas dezenas de consumidores denunciaram ao órgão as lives, alegando que as ações de publicidade da empresa Ambev (cervejaria), necessitam de alguns cuidados que estão contidos no Código Brasileiro de Autorregulação Publicitária, no que se refere às propagandas de bebidas alcoólicas.

Defesa da Ambev

A cervejaria Ambev soltou uma nota esclarecendo que, quando os cantores que fazem lives são contratados, eles recebem um guia onde contém as regras do Conar, porém, afirma que nem todas as normas do órgão foram seguidas. Com isso, a cervejaria garantiu que, a partir de agora, irá reforçar ainda mais estas recomendações.

Os próximos passos do processo aberto pelo Conar é o envio das defesas de Gusttavo Lima e da Ambev para o conselho de ética do referido órgão ou, fazer a adaptações imediatas das normas publicitárias das transmissões online de acordo com as regras éticas.

Esta última recomendação significa que devem ser retiradas do ar alguns trechos dos shows onlline.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Fofocas
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!