Foi divulgado nesta terça-feira (26) pela Rede Globo uma nota de repúdio a uma campanha de intimidação que está sendo feita contra o jornalista da casa William Bonner.

A campanha foi registada nos últimos dias. Na nota, a emissora cita que foi feito o uso indevido do CPF do filho de Bonner, por um fraudador, que usou o documento para poder inscrever o jovem no programa de auxílio emergencial que está sendo oferecido pelo governo federal, no valor de R$ 600, aos trabalhadores informais neste momento da crise criada pela pandemia do coronavírus.

O fato foi divulgado pelo próprio Bonner, que denunciou a fraude publicamente na última semana, através de seu perfil no Twitter.

Os advogados do jornalista ainda alertaram a Caixa Econômica Federal a respeito da fraude que foi feita, e apresentaram o crime perante o Ministério Público Federal. Bonner deu uma declaração ao jornal Extra, através da qual afirmou que as ameaçadas mostram uma sordidez, e que agora está usando de meios legais para poder encontrar os culpados pelos atos fraudulentos.

A respeito da situação causada, Bonner chegou a falar que pelo fato de ser jornalista e exercer esta atividade pública, que o único propósito dos atos cometidos são para poder intimidá-lo. O apresentador ainda ressalta que as pessoas que querem de fato fraudar, não avisam e nem mandam ameaças ou recados.

Além disso, o jornalista destaca que o fato de terem envolvido sua família na situação mostra sordidez nos atos de quem está por trás disso.

O jornalista ainda declarou que, seja quem for que esteja por trás dos atos, de forma legal, eles irão encontrar os culpados por isso para que sejam punidos. Bonner ainda agradeceu o apoio que recebeu da emissora e de seus colegas.

Falhas no sistema possibilitaram golpe

Algumas falhas que acontecem no sistema de checagem do benefício tornaram a ação de estelionatários algo possível neste caso.

No caso do filho do jornalista, a renda familiar do jovem nem mesmo permitiria que lhe fosse concedido o benefício.

No entanto, através do site da Dataprev era informado que o pedido fraudulento feito pelos bandidos havia sido aprovado. A Caixa, ao ser alertada pelos advogados de Bonner, suspendeu o processo para que fosse feito o pagamento do valor, que seria feito através de uma conta virtual que foi criada pelo estelionatário.

Na nota que foi feita pela emissora, foi informado ainda que uma das filhas do jornalista também recebeu mensagens através do aplicativo WhatsApp, de um número que tinha o prefixo 61, de Brasília, onde foram revelados os dados fiscais e sigilosos dele e de sua família toda.

Na nota, a empresa ainda declarou todo o seu apoio ao jornalista na busca para encontrar os responsáveis por terem cometido tais atos contra a família do jornalista.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!