Uma das mais importantes bandas de rock surgida na década de 1980, o Kid Abelha tem no currículo vários hits e mais de nove milhões de discos vendidos. O grupo, que no início se chamava Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens, e também já chegou a se chamar simplesmente Kid, encerrou suas atividades no ano de 2016.

Nova versão

Muitos fãs da banda ainda hoje se indagam sobre o que teria levado o grupo a se desfazer. A resposta pode ter sido dada em uma live que reuniu três bateristas que passaram pela banda de pop rock. Os músicos Adal Fonseca, Cláudio Infante e Kadu Menezes revelaram os bastidores de mais de 30 anos da banda da cantora Paula Toller e, segundo relatos, uma antiga história não teria sido exatamente como as pessoas a conheciam.

Uma das musas e estrelas da Música brasileira, Paula Toller acabou virando o tema principal da live. A transmissão do YouTube foi intermediada pelo também baterista Aquiles Priester, que estava intermediando o encontro para o canal TV Maldita.

Priester disse que quem mais saiu perdendo com o fim do grupo foram o guitarrista Bruno Fortunato e o saxofonista, violonista e cantor George Israel, pois a cantora continua se apresentando cantando as canções da extinta banda, opinou o músico.

Por que acabou?

Esta foi a indagação feita pelo mediador da live. Kadu Menezes, que passou 16 anos tocando bateria no Kid Abelha, deu sua versão para o fim do trio. Menezes disse se tratar de uma história já conhecida no showbiz, quando um empresário vê em um artista a possibilidade de o artista ser algo maior do que ele realmente é.

Diva

Avisando que ia ser sincero, Kadu afirmou que mesmo com todas as qualidades de Paula Toller, não adianta, pois ela nunca será uma diva. Ele disse que “Gal Costa, Maria Bethânia e Marisa Monte são divas por natureza”. Ele continuou seu relato dizendo que em algum momento, um empresário começou a trabalhar com a banda e começou esta ideia de separar a banda.

Menezes contou ainda que quando ele entrou para o grupo em 1991, todos andavam na mesma van, todos faziam as refeições juntos nos hotéis, e mais tarde, os músicos começaram ficar separados do trio principal. Os músicos de apoio também começaram a ficar separados da equipe técnica.

Chegou um ponto em que até mesmo Bruno Fortunato e George Israel foram separados de Paula Toller, ela tinha um carro só para ela e chegaram até a se hospedar em hotéis separados.

Kadu completou seu relato dizendo que este foi o fator determinante para o fim do grupo, a Paula seria a diva, enquanto o Kid seria os outros dois integrantes do grupo. Para ele, foi aí que o grupo começou a acabar.

Leoni

Não ficou fora da conversa a briga entre os integrantes do Kid Abelha e o cantor, compositor, violonista e baixista Leoni. O músico era um dos principais letristas da banda. Eles falaram sobre um show em 1986 que o grupo iria cantar ao lado do cantor Leo Jaime e relataram o acidente que Leoni sofreu quando Paula Toller lançou um pandeiro para acertar alguém, mas errou o alvo e acertou a cabeça de Leoni.

A situação fez com que o cantor não entrasse no palco naquele dia e logo depois ele abandonou o grupo.

Kadu Menezes relatou que presenciou todo o ocorrido. O baterista naquela ocasião era Claudio Infante, ele disse na live que não viu a confusão.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Fofocas
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!