O cantor e guitarrista Renato Barros morreu na manhã de terça-feira (28), aos 76 anos. O músico era o líder de uma das mais lendárias bandas de rock do Brasil ainda em atividade, a Renato e Seus Blue Caps. O músico estava internado no Hospital das Clínicas de Jacarepaguá, zona oeste carioca. Ele morreu por causa de complicações pulmonares. Na segunda-feira (21), o músico sentiu fortes dores no rosto e foi levado ao hospital, onde foi submetido a uma cirurgia que durou sete horas e que tinha por objetivo fazer uma dissecção da aorta.

Depois da cirurgia ele ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e apresentou complicações pulmonares.

Apesar da situação, o quadro do roqueiro chegou a ter uma melhora. No sábado (25) ele estava se alimentando por via oral e, de acordo com a filha do músico, Érika Barros, já estava sendo avaliada uma saída da UTI para um quarto. Porém, na terça-feira (28), a filha de Renato usou o Instagram para informar a morte do pai.

Renato e Seus Blue Caps

O grupo musical foi criado em 1959 e tinha em suas fileiras além de Renato, os seus irmãos Ed Wilson e Paulo Sérgio Barros. Completando a banda estavam os vizinhos dos irmãos Barros, Gelson e Euclides de Paula. Todos os integrantes eram adolescentes nessa época.

Iê-iê-iê

A banda ficou famosa nos primórdios do rock brasileiro, no movimento que levou o nome de iê-iê-iê (também conhecido como Jovem Guarda).

Eles ficaram conhecidos por fazerem versões em português de músicas internacionais, principalmente dos Beatles.

Entre algumas de suas famosas versões de músicas da banda inglesa estavam: “Menina Linda” (I should have know better), “Tudo o que sonhei” (If I Fell). Eles também fizeram uma versão da Música "California Dreamin" do grupo estadunidense The Mamas & The Papas, que na versão tupiniquim feita pelos Renatos e Seus Blue Caps virou “Não te esquecerei”.

Recife

O grupo tem uma ligação forte com a capital pernambucana, seus fãs nessa cidade são compostos de pessoas de todas as idades. Lucinha Zanetti foi a autora da biografia do roqueiro "Renato Barros: Um Mito, Uma Lenda”. A autora postou no Twitter o quanto lamentou a morte do músico.

A morte de Renato Barros foi lembrada nas redes sociais por outras personalidades, o “Tremendão”, Erasmo Carlos, o VJ Luiz Thunderbird e o ator e atual secretário especial de Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, foram alguns dos nomes que homenagearam o roqueiro.

Futebol

Uma curiosidade sobre Renato Barros é que apesar de ser carioca, sua ligação com Pernambuco era tão grande que muitas pessoas achavam que ele havia morado no Recife. Em 1979 ele compôs o “Hino à Treme Terra”, canção emblemática do Sport, ele era torcedor do rubro-negro de Pernambuco assim como do time rubro-negro do Rio de Janeiro, o Flamengo.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!