O diretor Marco Antônio Ferraz, que dirigiu um documentário para prestar uma homenagem à bondade e altruísmo da deputada Flordelis, declarou recentemente, com as novas acusações contra a deputada, que está se sentindo enganado.

Flordelis agora está sendo acusada de ter matado o próprio marido. Nesta semana, novos indícios foram divulgados pelas autoridades apontando o envolvimento da parlamentar no crime que tirou a vida do pastor Anderson do Carmo, ex-marido de Flordelis.

O filme em homenagem a Flordelis, intitulado “Basta Uma Palavra”, foi lançado no ano de 2009.

Ao longo do documentário, o diretor retrata história tocante da deputada, mãe adotiva de 44 filhos, na época em que tudo foi gravado.

No entanto, agora, ao ver os desdobramentos da situação em que Flordelis está sendo investigada pelas autoridades por envolvimento com a morte de Anderson, o diretor do documentário desabafou, dizendo que tudo na realidade não passava de uma mentira contada pela deputada.

Diretor se diz enganado por Flordelis

O diretor conheceu a deputada através do programa "TV Xuxa", que foi ao ar na televisão entre os anos de 2005 a 2014. No programa, a deputada mostrou toda a sua trajetória.

Ao ver a história de Flordelis na televisão, Ferraz ficou muito comovido com a vida da mulher que dedicava a sua vida a adotar de forma voluntária tanto crianças como adolescentes para conseguir tirá-los das ruas.

Diante disso, ele resolveu fazer o documentário para que sua história ficasse famosa.

Em uma recente entrevista concedida ao jornal Extra, o diretor do documentário relatou o momento em que teve a ideia do documentário sobre a deputada. Ele contou que, na época, estava indo viajar e logo quando voltou ligou para Solange, irmã da apresentadora Xuxa, e foi ela quem ajudou o diretor com o contato para conseguir falar com Flordelis.

O diretor relatou ainda que, quando conheceu a deputada e sua história, sentiu uma vontade enorme de tornar tudo público através de um livro ou um documentário.

O projeto então foi o que aproximou a pastora do diretor. Ela, na época, se declarava como sendo uma serva de Deus e que estaria vivendo uma missão de resgate.

Por contar com muitos contatos no mundo da mídia, Ferraz logo conseguiu despertar interesse de várias pessoas que se mostraram interessados em participar do projeto sem cobrar nada por isso.

Entre estas pessoas estavam estrelas como Bruna Marquezine, Cauã Reymond, Letícia Spiller, Alinne Moraes e vários outros.

Agora, o diretor se diz arrependido e alega que se isso fosse agora, jamais faria o filme sobre a trajetória de vida da deputada. Ele ainda de justifica, dizendo que não é cineasta, mas sim um contador de histórias e que, com isso, ele acabou contando uma verdadeira mentira diante das câmeras ao relatar a vida da deputada com o documentário dirigido por ele.

Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!