Na madrugada desta última quarta-feira (2), durante uma entrevista ao programa “Conversas com Bial”, a atriz e apresentadora Monica Iozzi resolveu trazer à tona novamente uma situação que faz parte de seu passado.

A atriz se mostrou muito corajosa ao falar novamente a respeito deste momento, quando aproveitou para fazer uma autocrítica sobre o papel que foi desempenhado por ela no programa CQC, da Band, onde era repórter.

O programa foi exibido pela emissora entre os anos de 2008 e 2015. A atriz, vale destacar, foi repórter do programa entre 2009 e 2013.

Atualmente, ao analisar a respeito do tempo em que esteve na atração, Monica declarou que considera, neste momento, que ela foi responsável também por ter ampliado e ajudado com que o discurso que era feito pelo então deputado Jair Bolsonaro ganhasse mais destaque devido às várias vezes em que ela entrevistou o político.

Monica Iozzi lamenta 'palco' para Bolsonaro

Sobre as ocasiões, a apresentadora garantiu que nunca tinha tido uma visão mais ampla a respeito dos fatos, pensando a médio e longo prazo, de que, no momento em que ela entrevistava o então deputado, que ao invés de estar realizando de fato uma denúncia contra ele ao público que acompanhava o programa, ela poderia estar dando destaque para que ele pudesse ampliar cada vez mais os discursos de ódio que eram feitos por ele.

No programa "Conversa com Bial", a atriz em nenhum momento, porém, chegou a responsabilizar o programa pela eleição de Bolsonaro como presidente [VIDEO] da República.

Ao longo de toda a entrevista, Iozzi se mostrou somente arrependida por ter dado voz em vários momentos para uma pessoa que sabia que podia usar disso para ter maior visibilidade, que era o que o programa, que na época teve muito destaque, proporcionava para ele.

Mônica Iozzi não culpa suposta ingenuidade

A atriz, que não tem nenhuma formação jornalística, assim como grande parte dos integrantes do CQC, agora, ao avaliar sua participação no programa, não culpou sua ingenuidade, isso porque ela garante que já era uma mulher adulta, com 28 anos de idade, e que não poderia usar disso.

No entanto, ela reconhece que não tinha na época em que tudo aconteceu uma percepção melhor a respeito do trabalho que estava desempenhando para o programa. Iozzi garante que agora se arrepende de ter entrevistado Bolsonaro tantas vezes.

Em meio à conversa, Iozzi destacou que, na época, Bolsonaro adorava dar entrevistas ao "CQC" e que o então deputado havia sido mais inteligente que ela e os integrantes do programa diante disso.

Isso porque, de acordo com a atriz, Bolsonaro sabia que com o programa ele poderia obter mais visibilidade e com isso poderia fazer com que seu discurso fosse mais difundido.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!