Autores de novelas de sucesso, como Walcy Carrasco, Glória Perez, João Emanuel Carneiro, Aguinaldo Silva e Silvio de Abreu, possuem mais em comum do que apenas terem escrito novelas de grande sucesso para a Rede Globo.

Isso porque todos os autores citados, em algum ponto de suas carreiras, foram acusados de terem cometido plágio de diferentes escritores, que entraram com ações judiciais contra eles por isso. O caso mais recente relatado foi o de Walcyr Carrasco, com a sua última novela que foi ao ar na emissora, "A Dona do Pedaço".

Ação contra Walcyr Carrasco por suposto plágio

O portal Notícias da TV conseguiu acesso à ação que foi registrada no último dia 23 de setembro, na 6ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, pelo escritor Arlindo José de Freitas Ribeiro.

De acordo com o escritor, a emissora e o novelista cometeram um plágio contra ele pelo fato de que a novela citada foi ao ar no ano passado pela emissora. A trajetória de Maria da Paz (Juliana Paes), de acordo com o escritor, era um plágio de Carrasco.

No pedido feito na Justiça, Ribeiro declara que é autor de “Orient Express: Sonhar Não é Proibido”. O único registro da obra relatada pelo escritor, no entanto, foi feito na Biblioteca Nacional, em 2009. Na ação da Justiça, o escritor declara que o trabalho foi enviado por ele para a Editora Moderna e à Globo.

A editora, de acordo com ele, devolveu e recusou a publicação do livro. No entanto, a mesma, de acordo com Ribeiro, nunca lhe deu uma resposta se ficaria com o material impresso para ela.

Na petição, os advogados do escritor declaram que a novela apresenta identidades que são vários pontos pertencentes à obra de Ribeiro e que, por isso, de acordo com o texto, existe o conflito que separa o casal, ambos são enganados por seus pares estavam mortos, além de outros fatores, como a gravidez da personagem principal e o reencontro deles após vários anos.

O escritor alega que o romance escrito por ele conta com um conflito entre nazistas e judeus, enquanto isso, na novela, o que foi ao ar pela emissora o embate em questão é entre famílias que são rivais.

Uma cena em que os olhares dos mocinhos se perdem, que foi ao ar pela trama, também foi usada como sendo uma semelhança entre a obra de Ribeiro e a novela escrita por Carrasco para a emissora.

Contudo, este é somente um dos casos mais recentes da emissora em relação a plágio, algo que é antigo no local. Em 2004, a Globo e a autora Glória Perez conseguiram se livrar de indenizar a escritora de "Um Clone Bestial", Regina Luzia Lucas da Gama, que reclamou em relação à novela "O Clone" de supostas cópias que foram feitas pela autora da trama.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!