A atriz Claudia Raia está sendo investigada pelo Polícia Civil de São Paulo. De acordo com informações divulgadas em primeira mão pelo portal UOL, a Polícia Civil abriu um inquérito para apurar se a famosa exerceu de forma ilegal a profissão de educadora física.

Tudo teve início depois que o Conselho Federal de Educação Física acionou a justiça depois de Claudia Raia postar em seu Instagram um vídeo onde aparece comandando uma aula fitness de aproximadamente seis minutos. Para a polícia, o órgão afirma que a atriz promoveu uma sessão de educação física sem ter “conhecimento científico” e nem ao mesmo “capacitação técnica para tanto”.

Em agosto deste ano, Claudia já havia se pronunciado na 2ª Delegacia de Polícia da Divisão de Investigações sobre Infrações contra a Saúde Pública. Na ocasião, a atriz afirmou que os exercícios físicos exibidos por ela no vídeo teriam sido elaborados por Marcos Prado, seu personal trainer, que é formado em Educação Física. Mesmo assim, após a reportagem divulgada pelo UOL, Claudia ainda não se pronunciou.

Segundo Raia, seu personal trainer não só elaborou, como também coordenou e acompanhou todos os exercícios realizados em seu apartamento. Diante disso, a artista esclarece que, ao longo do vídeo, ela não esteve em momento algum “desassistida por profissional”

Se comprovada, a prática realizada pela atriz pode se caracterizar como exercício ilegal da Ppofissão, previsto no artigo 47 da Lei das Contravenções Penais.

O vídeo

O vídeo em questão foi publicado por Claudia Raia no dia 24 de março. Durante a gravação, a atriz pratica diversas atividades físicas acompanhada do marido, Jarbas Homem de Mello.

Segundo a atriz, a ideia da gravação do vídeo surgiu como um dos pedidos de seus seguidores no intuito de motivá-los durante o início do isolamento social.

Além disso, Claudia também diz que em momento algum seu objetivo foi de ter lucros financeiros com o vídeo, ao invés disso, ela conta que estava tentando incentivar a prática de atividades físicas para seus seguidores terem “uma vida mais saudável”.

Ministério Público se manifesta

Ao se manifestar, o Ministério Público pediu que o caso seja encaminhado ao Juizado Especial Criminal, onde são julgadas as inflações com menor potencial ofensivo.

No início de novembro, a juíza Gabriela Marques Bertoli acolheu o requerimento feito pelo Ministério Público e, desta forma, determinou que o caso deverá ser levado ao Juizado Especial Criminal.

A equipe de reportagem do UOL entrou em contato com a assessoria de imprensa da atriz, contudo, até o momento deste publicado eles ainda aguardavam um posicionamento sobre o assunto. Além disso, a reportagem também tentou contato por mensagem com o Conselho Federal de Educação Física, mas não obteve resposta até o momento.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!