O Brasil e o Amazonas perderam mais um grande artista nos últimos dias. Faleceu no dia 6 de fevereiro o cantor Zezinho Corrêa. A notícia sobre o falecimento do músico foi compartilhada pela própria família do músico em seu perfil no Instagram.

Zezinho Corrêa foi vítima da Covid-19

O cantor José Maria Nunes Corrêa, que ficou nacionalmente conhecido como Zezinho Corrêa, não resistiu às complicações do novo coronavírus. Ele se encontrava internado desde o dia 4 de janeiro, quando passou muito mal, com febre e dores no corpo, e teve o diagnóstico para a doença confirmado.

Três dias depois, o artista teve que ser levado para uma Unidade de Terapia Intensiva para dar continuidade ao tratamento.

Nesse período, Zezinho chegou a ser intubado e teve que ser submetido a uma traqueostomia. Na nota de falecimento publicada, a família disse que o cantor lutou bravamente pela vida, mas que Deus quis levá-lo para a morada eterna. Eles agradeceram as orações e carinho que receberam dos fãs, amigos, familiares e admiradores do artista nesse período.

Através do comunicado, a família disse que o céu tinha ganhado uma estrela que brilhará para a eternidade. Eles agradeceram por Zezinho ter ajudado a levar o nome do Amazonas para o mundo e por ter sido uma pessoa incrível em todos os sentidos.

A família disse que ele já estava fazendo muita falta, mas que seguiam amando-o e terminaram dizendo que o batido do tambor havia se calado.

Trajetória de Zezinho Corrêa

Zezinho nasceu em Carauari e ficou conhecido no Brasil e no mundo nos anos 90, com a canção "Tic Tic Tac", quando fazia parte da banda Carrapicho. Antes de se tornar cantor, o rapaz fez o curso de formação de atores, no Rio de Janeiro, além de estudar interpretação e dança.

Ele chegou a fazer parte do Grupo de Teatro Experimental do Sesc.

O artista chegou a investir na carreira solo e produziu projetos musicais, tendo participado do Festival Amazonas de Ópera no ano 2000, com o musical "Boi de Pano", e em 2001 gravou seu CD solo no Teatro Amazonas.

Em 21 de dezembro de 2020 Zezinho apresentou o show "Banho de Frevo - Zezinho Corrêa canta Elba Ramalho" no Teatro Manauara e no dia 28 participou online do lançamento do livro “Eu Quero é Tic, Tic, Tac”, de Fabrício Nunes, em homenagem à sua carreira.

Braulino, que é o autor da canção "Tic Tic Tac" e amigo de Zezinho, lamentou a sua morte nas redes sociais. Os dois se conheceram em 1996, ano em que Zezinho ganhou projeção mundial com a canção. Ele disse que estava sentindo um vazio enorme em seu coração e na sua família.

Braulino falou que o cantor era seu amigo e que havia dado vida à sua Música, fazendo tudo por ele. Segundo o compositor, ele estava sentindo uma tristeza tão grande que só sabia e que não tinha palavras para descrever a grande perda que sofreram.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!