O auxílio emergencial foi um benefício concedido pelo governo federal a parte da população diante do agravamento da pandemia. O avanço do coronavírus pelo Brasil gerou preocupação, sobretudo em profissionais autônomos e microempresários, além do desemprego, que crescia com o passar dos meses.

Com isso, milhões de brasileiros recorreram ao benefício através do aplicativo da Caixa, a fim de se protegerem financeiramente e garantirem um fôlego nas contas. Entre os milhões de brasileiros, e ainda no anonimato, Juliette Freire, do "BBB21", precisou recorrer ao auxílio antes de ingressar na casa mais vigiada do Brasil, visto que seu setor de atuação se via sufocado com o avanço do coronavírus.

Juliette precisou do auxílio emergencial antes do 'BBB21'

Antes de entrar no "BBB21" e virar a queridinha do reality pelo público, Juliette atuava como maquiadora autônoma em João Pessoa, na Paraíba. Com o agravamento da pandemia, Deborah Vidjinsky e Juliette eram sócias de um estúdio na capital paraibana. A crise provocou o fechamento do local e a entrega das salas, o que levou Juliette e Deborah a recorrerem ao auxílio emergencial oferecido pelo governo federal.

A reportagem do portal UOL conversou com Deborah sobre a crise e o consequentemente fechou o salão, e como o auxílio emergencial foi essencial tanto para ela como para Juliette. Segundo apuração da reportagem, Juliette teria recebido R$ 3 mil do benefício entre abril e setembro.

Eventos cancelados prejudicaram Juliette

O fechamento do comércio e o cancelamento de eventos sociais, como casamentos e festividades, acabou prejudicando o negócio. Tanto Juliette como Deborah acabaram recorrendo a promoções e oferecendo vouchers a clientes para oferta de serviço antecipada. O negócio, porém, não rendeu, e a necessidade exigiu o pedido pelo auxílio emergencial.

"Em maio, a gente entregou as salas porque a gente não conseguiu manter o aluguel, fechamos tudo, ficamos sem atender de março até outubro de 2020", comentou Deborah ao UOL, destacando que a imprevisibilidade do momento fez com que a dupla requisitasse o auxílio de R$ 600 mensais.

Agora assessora direta de Juliette, a amiga destaca que, embora seja formada em Direito, a sister não exerce a profissão de advogada.

"Ela estuda para concurso", disse Deborah, que fez questão de ressaltar que a renda principal da favorita ao "BBB21" sempre foi a maquiagem. "Sem eventos, não tem como maquiar", destacou a assessora.

Atualmente, Juliette Freire conta com mais de 20 milhões de seguidores somente no Instagram. Sucesso nas redes sociais, a maquiadora é a favorita para ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão no "Big Brother Brasil 21".

Não perca a nossa página no Facebook!