No passado, um dos homens mais poderosos do Brasil e nome de respeito no PMDB, além de ser dono de imóveis luxuosos e de um patrimônio invejável. Agora, um homem preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, ironicamente o presídio que inaugurou em 2008 quando foi governador do Rio de Janeiro. Essa é a nova rotina do ex-governador carioca Sérgio Cabral.

Com a cabeça raspada, o seu primeiro café da manhã no novo endereço foi um simples pão com manteiga e café com leite. Ele dormiu em uma cela de nove metros quadrados ao lado de outros presos. O cardápio não lembra em nada os banquetes luxuosos de sua residência ou nos restaurantes luxuosos que frequentava dentro e fora do país.

Publicidade
Publicidade

Sérgio Cabral é o alvo principal da Operação Calicute, uma extensão da Lava Jato. O político foi acusado de ser o chefe de um esquema de corrupção cujo desvio dos cofres públicos passou de R$ 220 milhões. A estimativa é da #Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Além de Cabral, mais nove pessoas envolvidas no esquema também tiveram suas prisões decretadas por determinação da Justiça do Rio de Janeiro e do Paraná.

Entre as acusações que pesam contra o ex-governador, uma das mais graves é a de que recebia uma espécie de mesada no valor de R$ 500 mil de empreiteiras. O peemedebista também era presenteado com joias e diversos objetos de luxo doados por empreiteiras que mantinham contratos com o governo carioca durante sua gestão, de 2007 a 2014. Segundo a acusação, várias obras foram fraudadas em seu governo.

Publicidade

Entre as que foram mencionadas no pedido de prisão constam o PAC das Favelas, a reforma do Maracanã, o Arco Metropolitano, além do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Além de Sérgio Cabral, Anthony Garotinho também segue preso

O ex-governador Anthony Garotinho (PR) também está preso em Bangu. Sob forte resistência, ele foi transferido no final da noite desta quinta-feira (17). Garotinho é acusado de intimidar testemunhas e fazer uso indevido do Cheque Cidadão, um programa social da prefeitura do município de Campos (RJ), para compra de votos. Sua mulher, a ex-governadora Rosinha Garotinho, é a atual prefeita de Campos. A #Política negou as irregularidades e afirmou que a prisão de seu marido é arbitrária e ilegal.

As duas prisões repercutiram em vários jornais e sites do exterior. Garotinho e Cabral são adversários políticos de longa data. #Lava Jato