Mais uma vítima precoce de violência física e psicológica nas escolas. Uma adolescente de 14 anos, vítima de bullying em um colégio estadual de Cachoeirinha, na Grande Porto Alegre, Rio Grande do Sul, foi agredida pelas colegas de classe. A briga terminou com seu enforcamento e morte.

A Escola Estadual Luiz de Camões, localizada na cidade de Cachoeirinha, região metropolitana de Porto Alegre, foi o palco do falecimento de Marta Avelhaneda Gonçalves nesta quinta-feira (9). A vítima era aluna nova e morreu no terceiro dias após o ingresso na unidade.

Depois do ocorrido, a escola ficou o resto do dia fechada. As atividades continuam suspensas.

Publicidade
Publicidade

O enforcamento foi consequência de uma briga que ocorreu no intervalo entre as aulas. As investigações preliminares apontam que Marta e mais três colegas de turma discutiram e chagaram às vias de fato.

Sozinha na tentativa de se defender, ela foi enforcada e morreu na hora. As adolescentes envolvidas foram encaminhadas à delegacia e ouvidas. Depois de darem suas versões foram liberadas e voltaram para casa.

No momento em que as agressões começaram não havia nenhum educador ou inspetor por perto. Testemunhas contam que depois das primeiras trocas de agressões ela foi empurrada e caiu no chão da classe, passando mal logo depois. Ao perceberem o estado da menina, outros alunos chamaram o serviço médico de urgência.

A estudante chegou a ser levada para uma unidade hospitalar, mas assim que deu entrada sofreu uma parada cardiorrespiratória.

Publicidade

Os médicos fizeram manobras para reanimá-la, mas ela não voltou. Os profissionais que a atenderam e também os médicos do Instituto Médico Legal (IML) atestaram que Marta veio à óbito após asfixia causada por estrangulamento (enforcamento).

Na delegacia as outras adolescentes alegaram que a vítima teria iniciado as agressões. Parentes da jovem, no entanto, dizem que era uma menina calma, que nunca se envolveu em episódios de agressividade ou discussões.

O delegado responsável ouviu os pais das menores e vai solicitar que funcionários da escola sejam ouvidos e forneçam mais informações.

O corpo da menor foi velado e sepultado na manhã desta quinta-feira (9).

#Crime #Investigação Criminal