Quando se fala em humanidade, o engenheiro de computação Fábio Lae de Souza, 38 anos, entende muito bem do assunto. Além de ter uma vasta formação profissional, inclusive, na área internacional, como Inglaterra e Estados Unidos. Porém, no final de 2012, Fábio começou a ver sua carreira promissora ser colocada em risco, devido a uma forte dor nos braços que o obrigou a se afastar definitivamente de suas funções. Diante de uma doença que o impedia de voltar ao trabalho, ele transformou a sensação de impotência em ação.

Ainda muito fraco e sentindo fortes dores, Fábio foi obrigado a voltar para o Brasil em 2013. De volta ao país, começou a desenvolver a ideia de pesquisar historias de pessoas que, assim como ele, estavam passando por problemas de saúde, inclusive crianças.

Publicidade
Publicidade

Ele começou a procurar sites e páginas da #Internet que divulgavam campanhas em prol de crianças com doenças graves e começou a ajudá-las também. Daí, surgiu o site "Clique da Esperança", que reúne casos de crianças, meninos e meninas, com doenças graves e que precisam de tratamento, na maioria caros e de urgência.

Ao lado de sua mulher, Carol Saliby, 35 anos, com quem tem dois filhos, e de sua enteada, Bel Maranhão, 19 anos, Fábio começou a divulgar o site. Carol e Bel se encarregam das postagens e divulgação, que só no site de relacionamentos, Facebook, já possui mais de 120 mil seguidores, com 21 campanhas no ar. A real necessidade das famílias que fazem parte do projeto e que precisam desses tratamentos é comprovada por exames médicos, entrevistas e documentos, a fim de evitar que a campanha seja utilizada por pessoas mal intencionadas.

As doações podem ser feitas através do Pag Seguro, ferramenta de pagamentos online, e o valor é depositado diretamente na conta do pai, mãe ou responsável pela causa.

Publicidade

Qualquer pessoa pode ajudar doando de cinco até mil reais. O "Clique da Esperança" não cobra nenhuma taxa adicional para os usuários que querem fazer parte da obra.

Desde que o site entrou no ar, em 2014, 31 crianças já receberam doações, num montante de mais de 450 mil reais. Dentre elas, o caso de Pedrinho, de apenas 08 meses, que nasceu na Bahia e precisa de um transplante de intestino, realizado apenas nos Estados Unidos. A criança já recebeu quase 140 mil reais em doações vindas de diversas partes do país e já viajou para Miami para realizar a cirurgia. A meta de arrecadação para 2015 é de 5 milhões.

O principal desafio de Fábio Lae e de sua esposa é contar com o apoio de formadores de opinião, como: atores/atrizes, cantores/cantoras e apresentadores de TV.