Pouquíssimas pessoas sabem disso, mas a fisioterapia na Austrália se constitui em um das mais concretas ocupações no programa de imigração para o país, tanto é assim que o governo federal australiano cria constantemente listagens com o objetivo de atrair imigrantes com essa formação específica. Já nas primeiras listas federais, a fisioterapia na Austrália sempre esteve presente nos interesses das autoridades locais, constando também em diversas listas estaduais, o que acaba cada vez mais atraindo profissionais que almejam ter o visto para trabalhar como fisioterapeuta na Austrália.

Não é em vão que, MaCson Queiroz JP, consultor e diretor imigratório da M.Quality, explicou que em julho de 2015, o governo daquele país já tinha aprovado o número de 1104 vagas de fisioterapeutas no programa de imigração australiana; porém, unicamente 37 dessas vagas foram preenchidas com sucesso.

Publicidade
Publicidade

A M.Quality pode ser considerada como uma agência de consultoria especializada em imigração e intercâmbio de brasileiros que querem ir legalmente para a Austrália. Funcionando há 13 anos no mercado e é somente ela que no Brasil cuida da imigração e do intercâmbio homologado pelo governo da Austrália.

Na realidade, o programa de imigração como um todo que foi feito e é subsidiado pelo governo australiano, comprova a vulnerabilidade na falta de mão-de-obra especializada naquela parte do mundo. Visando acabar com essa carência, o salário anual oferecido ao profissional com 8 anos de experiência é acima de U$105 mil dólares, o equivalente a mais de R$ 34.000,00 mensais.

O especialista em imigração ainda reforça que o mecanismo de validação do diploma de fisioterapeuta, objetivando mudar-se para a Austrália pode ser conseguido de muitas maneiras.

Publicidade

O caminho mais comum engloba provas escritas e também testes de caráter clínico obrigatórios, que poderão ser executados tanto no Brasil quanto em Portugal, ou seja, dessa 1.ª forma convencional, em geral, o investimento para se conseguir passar nos exames com êxito, não será menor a U$18 mil dólares.

MaCson Queiroz JP aborda a 2.ª alternativa para se validar o diploma de fisioterapeuta em terras australianas, sendo que aqui não são necessárias avaliações por escrito ou mesmo testes clínicos a curto prazo, mas, sim, no transcorrer dos estudos. O custo médio representa um investimento na ordem superior a U$120 mil dólares.

Por fim, ainda há a 3.ª maneira de se pleitear o reconhecimento do diploma e o emprego de fisioterapeuta na Austrália, basicamente se considerar que o processo de seleção em si, longe de casa é muito dispendioso. As vantagens dessa última alternativa são que os profissionais não terão que fazer exames escritos e testes clínicos; tendo a possibilidade de realizar a validação do seu diploma de fisioterapeuta sem que haja a obrigação de se ausentar do seu país original para acessar o resultado e não é necessário deixar o seu emprego para obter sucesso no que concerne a nenhuma das etapas dessa última escolha de validação do diploma enquanto fisioterapeuta.

Publicidade

Obviamente a vantagem maior da 3.ª opção é que o passo a passo da validação do diploma em fisioterapia para ir à Austrália, não carece de um investimento maior do que U$5 mil dólares, mas a pergunta maior que fica é: quem no Brasil terá dinheiro investir e assim, ter a chance de conquistar um emprego como fisioterapeuta na Austrália, ganhando mais de R$ 34.000,00 ao mês?! #Educação #Trabalho #Desemprego