Em busca de realizar o sonho de ter um pódio triplo nos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Confederação Brasileira de Canoagem fez  forte pressão sobre a federação internacional nos últimos dias, para que fossem feitas mudanças no programa das provas de canoagem, a fim de favorecer o baiano Isaquias Queiroz de 22 anos, que promete ser um dos maiores medalhistas do país nos Jogos Rio 2016.

Após essa manobra, Queiroz chegará com o status de favorito ao pódio nas três categorias que compete, que são elas: individual dos 200m e 1.000m, e a prova em dupla dos 1.000m com o seu parceiro, Erlon Souza.

Embora essa manobra para alterar o calendário seja questionável, ela não é considerada ilegal no universo olímpico, já que, em outros países, que também sediaram os Jogos, já foram requeridas tais mudanças para beneficiar os seus atletas.

Publicidade
Publicidade

As autoridades da federação internacional da modalidade, afirmam que a alteração no calendário foi feita para deixar o programa da canoagem com uma divisão melhor, a fim de possibilitar que os atletas possam competir em classes adicionais, conforme informaram as autoridades.

O comitê organizador da Rio-2016 se pronunciou, dizendo que a mudança também beneficia o público que quer acompanhar as competições, pois agora haverá provas de diferentes distâncias nos seis dias de competição.

Um privilégio oferecido a outras modalidades

Para que a americana Allyson Felix, de 30 anos, pudesse participar da prova de atletismo de 200m e 400m, a federação de atletismo dos EUA entrou com recurso pedindo à IAAF (entidade que rege a modalidade) e ao COI (Comitê Olímpico Internacional) para alterar a primeira eliminatória dos 200m para o período da manhã e dos 400m para a noite, para poder beneficiar a dona de quatro ouros e duas pratas olímpicas.

Publicidade

A princípio, a primeira rodada eliminatória dos 200m e a final dos 400 seriam em 15 de agosto, com uma diferença apenas de 75 minutos entre elas, o que não daria para Allysson, que é favorita ao pódio em ambas, pudesse participar.   #Rio2016 #Resenha Esportiva #EUA