Infelizmente a segunda-feira, 29 de maio, está sendo certamente um dos dias mais tristes na vida do talentoso cantor, violeiro, instrumentista e compositor Almir Sater, o qual emplacou diversos sucessos musicais de melodias doces e harmônicas, que emocionam a sua legião de fãs e admiradores. Tudo isso porque Nair Melke Sater, a mãe de Almir e de seus irmãos Rodrigo, Cibele e Gisele Sater, acabou falecendo nesta madrugada, em decorrência do agravamento do seu quadro pós-operatório de uma intervenção cirúrgica na região do quadril.

Nair se encontrava internada sob cuidados médicos no renomado Hospital Sírio Libanês, localizado na Cidade de São Paulo e o seu corpo foi conduzido ainda na segunda-feira para Campo Grande, capital do Estado do Mato Grosso do Sul, informaram os familiares da matriarca dos Sater.

Publicidade
Publicidade

O corpo será velado em uma das capelas do cemitério Parque das Primaveras, o mesmo em que também está enterrado Fuard Abdo Sater, desde sua morte em 2014, ele que foi o marido de Nair e pai de Almir e seus outros irmãos. O sepultamento da mãe do astro musical está agendado para o período da manhã de terça-feira, 30 de maio.

O nome completo de batismo do #Cantor é Almir Eduardo Melke Sater, nascido em Campo Grande, Mato Grosso do Sul no dia 14 de novembro de 1956. Almir teve a oportunidade de gravar o seu 1º disco solo, cujo título é "Estradeiro", no início da década de 80, mais especificamente em 1981, pela gravadora Continental e, paralelamente, participava de muitos festivais de #Música e shows.

Entretanto, foi só em 1990, através da participação do músico em protagonizar papéis de destaque em novelas, geralmente interpretando personagens de violeiro e cantor de modinhas regionais, que Almir Sater alcançou o sucesso de poder ser conhecido nos quatro cantos do Brasil e, desse modo, pode continuar com a sua tão querida profissão de violeiro e compositor até a atualidade.

Publicidade

A música de Sater não está presa dentro dos limites do tempo, passando desde o som tipicamente caipira ou provinciano com a sua já tradicional viola de 10 cordas, até expressar as influências diretas das culturas típicas das regiões que fazem fronteira com o Mato Grosso do Sul e também dos sons característicos das canções dos Andes e das famosas guaranias do Paraguai. O resultado dessa fusão de gênero e tradições não poderia ser outro, uma vez que a melodia de Sater agrada em cheio a seu público eclético.

Almir é um representante tão importante para o cancioneiro popular brasileiro, que é um dos principais responsáveis pela manutenção da viola de 10 cordas e a música quase que mágica produzida por ela.

Que a canção sentimental de Sater possa atenuar um pouco de toda a dor que ele sente neste momento e que, acrescida do componente “tempo”, permita que a dor possa ir embora e que reine somente a saudade preenchida de boas recordações. Descanse em paz Nair Melke Sater e força Almir Sater!

O cantor Almir Sater se emociona na música 'Tocando em Frente'

#Almir Sater