Poucas pessoas sabem quem foi o italiano Giovanni di Pietro di Bernardone, mas quando se fala sobre São Francisco de Assis, praticamente o mundo todo o conhece. Giovani e Francisco, na realidade, foram a mesma pessoa, ou seja, um frade da Igreja Católica, que antes de se converter ao catolicismo, diz a história, teve uma vida materialista e fugaz; porém, após a sua entrada na igreja, optou por um comportamento religioso baseado na total pobreza. Outro ponto relevante da biografia de São Francisco de Assis é que ele era um fiel defensor dos Animais, já há séculos.

Publicidade
Publicidade

Tanto é assim, que em uma de suas famosas citações, ele disse o seguinte: “todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem. Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida”. A frase por si só é comovente e assume ainda maior sentimentalismo, quando, por exemplo, vem à tona a saga de uma mãe orangotango que foge por um mês de um incêndio devastador abraçada com o seu filhote, lutando bravamente pela vida de ambos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Natureza Animais

Que exemplo! Não há como não se emocionar diante de uma mãe que protege a sua cria, mesmo sendo ela um “animal irracional”. A história que, apesar de muito sofrimento, teve um final feliz, ocorreu na distante Indonésia, quando o orangotango fêmea se empenhou em fugir da queimada na floresta e, ainda por cima, foi agredida com pedradas pelos aldeões locais, quase morrendo ela e o seu bebê em função de tamanha ignorância e crueldade, uma vez que os habitantes da região crêem que os macacos do país são uma verdadeira peste.

Publicidade

No entanto, como que por milagre em homenagem à vida, a mãe animal, que apesar de muito desnutrida em nenhum momento deixou para trás o seu filhote, foi resgatada pela “Organização Internacional de Resgate Animal”.

As informações e imagens adicionais liberadas pela Organização comprovam que a macaca estava prestes a morrer com a sua cria nos braços, por causa do incêndio e das pedradas que levaram, sendo que muito provavelmente a mãe estava sem se alimentar por aproximadamente um mês, ou seja, a partir do momento em que os incêndios naquela parte do mundo se alastraram.

O bebê orangotango foi batizado com nome de Gito e tanto ele quanto sua mamãe se recuperaram muito bem, sendo devidamente tratados antes de terem sido conduzidos e soltos em uma área de conservação ambiental, onde todos esperam que eles finalmente possam viver na paz e tranqüilidade que merecem. E você, o que achou desta apaixonante história do amor entre uma mãe e um filho do reino animal?

Oração de São Francisco de Assis

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo