Os números da violência doméstica são cada vez mais alarmantes. Mesmo com as adequações nas leis, na tentativa de coibir as práticas de abusos e agressões, ainda há muito que se melhorar para conseguir uma sociedade que trate mulheres e crianças com decência.

Mas um caso de abuso e violência contra a mulher chamou a atenção da cidade Três Lagoas, próxima a Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, por conta da estratégia que o agressor usou para forçar a ex-companheira a retomar o relacionamento.

O crime idealizado pelo homem mais parece uma trama de filme de suspense e é pouco comum entre os outros crimes contra a mulher.

Segundo matéria publicada no site “JP News”, David Pereira da Costa, de 40 anos, forjou o sequestro da ex-companheiro, com a intenção de bancar o “herói”, pagando um resgate fictício, na intenção de forçar assim uma retomada no relacionamento dos dois.

No dia 10 de julho, a vítima foi abordada por dois marginais armados quando chegava a sua residência acompanhada de sua filha de 10 anos de idade.

Os criminosos exigiam que ela fizesse contato com David para pedir um “resgate”. Ela tentou explicar para eles que os dois estavam separados e que ela tinha inclusive uma medida protetiva contra ele, pois o relacionamento dos dois tinha acabado de forma tumultuada.

Devido à insistência dos homens, ela acabou ligando para David. Os dois homens exigiram dele uma quantia de R$ 4 mil reais, que seria o valor para liberar as duas reféns.

Tudo armado pelo próprio David, que apareceu no local combinado, minutos depois com a quantia e entregou aos homens, que então foram embora levando o dinheiro.

Ele disse que teria toda essa quantia, pois havia ganhado o dinheiro jogando uma partida de poker.

A vítima resolveu registrar uma ocorrência. Foi então que os policiais do SIG (Serviço de Investigações Gerais) começaram a investigar o caso.

A primeira descoberta foi de que a origem do montante pago aos falsos sequestradores, declarada por David, não era verdadeira.

Depois eles constataram que tudo não passou de uma armação do homem, que contratou dois rapazes, um de 20 anos e o outro de 18, que não tiveram suas identidades reveladas, para se passarem por sequestradores.

Pelo “serviço”, ele pagou a quantia de R$ 4 mil reais, dois mil para cada um.

Os jovens já tinham várias passagens pela polícia.

David foi preso por falso sequestro e também por violar a medida protetiva. A polícia ainda busca pelos dois jovens envolvidos no crime.

Não perca a nossa página no Facebook!