Na plataforma do YouTube Kids, um vídeo que aparentava ser de uma simples criança que estaria brincando com o seu slime, em segundos virou um filme aterrorizante para as crianças, pois as imagens em que apareciam a garota foram cortadas por cenas em que a personagem Momo incentivava e ensinava as crianças a como cortar os próprios pulsos, o que levaria à morte.

Com a grande repercussão, o vídeo acabou chegando até a produtora de conteúdo e professora Juliana Tedeschi Hodar, de 41 anos de idade, que mora em Campinas, na Grande São Paulo, por meio de um grupo da família de seu marido, Juan Hodar, de 45 anos de idade, no WhatsApp.

Publicidade

Ele logo quis começar uma conversa em casa para que pudessem orientar a filha do casal, Bianca, de apenas 8 anos de idade, sobre o que se passava nas imagens do vídeo.

Logo quando se assentaram para começar o dialogo com Bianca, se surpreenderam, a menina já tinha assistido aquele conteúdo, e acabou se assustando com o que acidentalmente havia assistido.

Relatos de crianças desmascarou o vídeo

Juliana relatou que quando começaram a conversa, ela começou a chorar e nem falar direito ela conseguia.

O casal começou a tentar acalmar a filha, então ela disse que já tinha assistido o vídeo em que aparecia a Momo, e estava com muito medo de ter que dormir sem companhia e acabar tendo pesadelos com a personagem, até mesmo de vê-la saindo de seu guarda-roupas. Juliana também relatou que os minutos que eles passaram tendo de acalmar a filha foram muito complicados.

A mãe optou por dormir junto de Bianca, para que a menina pudesse se sentir mais segura com a sua presença, e explicou que a Momo nunca iria aparecer na vida real para ela, pois a personagem não passava de uma mentira.

Publicidade

Ela também disse que pediu para que sempre que acontecesse de imagens como as desse aterrorizante vídeo aparecessem para a filha, que ela chamasse pelos pais, Como as imagens aparecem em meio a vídeos que possuem conteúdo infantil, essa seria a maneira com a qual eles poderiam denunciá-lo.

O casal já havia restringido o acesso da filha para conteúdos somente do YouTube Kids, ou seja, conteúdos infantis, e mesmo assim ela acabou tendo de assistir cenas como aquelas.

A repercussão das imagens de Momo foi tão grande, que até a socialite Kim Kardashian pediu por meio de seu Instagram um posicionamento do YouTube sobre aquele conteúdo que ela considerou impróprio e, por isso, não deveria ser disponibilizado para as crianças.