Vivemos em um mundo onde a intolerância e o preconceito tem sido destaque como uma das principais causas de brigas e desentendimentos humanos.

Afinal, amar o próximo parece ser um dos sentimentos mais difíceis de conquistar na raça humana. De acordo com o livro sagrada "A Bíblia",Jesus ordenou que todos amassem uns aos outros como a si mesmos.

Mas você sabe o que quer dizer isso?

Amor opróximo significa colocar as prioridades dos outros em primeiro lugar, como colocaria as suas.

Sentir o que o outro sente, e se importar com seu bem-estar no dia a dia. Ser tolerante e menos preconceituoso. Não julgar.

Por mais que nos esforcemos, isso é algo muito complicado de conseguir.Por isso, cientistas há muito tempo tentam desvendar de onde vem esse sentimento que é manifestado em algumas pessoas solidárias e tolerantes.

Seria ótimo se conseguissem identificar e reproduzir esse tipo de sentimentos na raça humana.

Com certeza as coisas no mundo seriam muito melhores.

Pensando nisso, iniciou-se uma pesquisa para determinar de onde surge o sentimento de amor ao próximo.

De acordo com o pesquisador Alysson Muotri, que é neurocientista brasileiro, esse sentimento pode ser consequência de uma variação comportamental, devido à alteração de um gene.

Em sua pesquisa, ele estudou pacientes portadores da síndrome de Williams, que não tem o gene FZD9, um dos fatores que levam a detectar a doença acima citada.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades Saúde

As pessoas que têm essa doença costumam ser muito atenciosas até mesmo com pessoas desconhecidas, estão constantemente sorrindo e não são pessoas inibidas. Suas características físicas são: queixo fino, olhos grandes e nariz pontudo. Possuem a boca larga e na maioria, cabelos enrolados. Elas tendem a ter um vocabulário muito sofisticado, porém têm pouco rendimento intelectual.

Na pesquisa, cinco pacientes com a síndrome foram analisados, sendo que quatro deles possuía a perda de 25 genes, incluindo o FZD9 e suas de suas cópias.

Já o quinto paciente, que não era muito social, possui as duas copias do FZD9, o que é normal na maioria dos humanos.

Concluindo a pesquisa, notou-se que o gene contribui para o sentimento de amor próprio.

As pessoas com a síndrome e que não possuem ogene FZD9 são mais solidárias, fazendo com que elas tenham o sentimento de amor ao próximo muito mais elevado do que outras pessoas. SegundoMuotri, "oamor aopróximo pode ser causado por um defeito genético".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo