Muitos homens acreditam que quando a mulher diz que está sentindo um desconforto na hora da intimidade, ela esteja mentindo, porém isso não é verdade. Esse desconforto pode ser causado por causa de uma condição que afeta cerca de 3% a 5% da população feminina do mundo inteiro.

Frequentemente, quando elas fazem essas queixas, costumam escutar dos parceiros que elas precisam ficar mais relaxadas ou então tomar uma dose de algum tipo de bebida alcoólica, como se isso fosse resolver o problema.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Relacionamento

A questão é que o que pode realmente resolver esse desconforto é um tratamento médico com uma equipe de profissionais treinados. O desconforto sentido por muitas mulheres tem nome, causa, tratamento e cura, isso se chama vaginismo.

Mulheres casadas podem ter vaginismo

Engana-se quem acredita que só pelo fato de uma mulher estar casada há anos ela esteja livre desse problema. A sexóloga afirmou que há caso de mulheres que são casadas há décadas e sofrem com esse problema. Por isso, é preciso de muito apoio e compreensão do companheiro para que elas consigam êxito em seus tratamentos.

Causas do vaginismo

Segundo Carolina Ambrogini, que é coordenadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Centro de Apoio e Tratamento do Vaginismo [VIDEO] (CATVA), a maioria dos casos de vaginismo são causados por problemas relacionados ao psicológico da mulher. Ela ressaltou que abusos e traumas na infância e na adolescência podem levar a mulher a essa condição. A sexóloga ainda explicou que o vaginismo acontece no momento em que a mulher contrai a musculatura com tanta intensidade a ponto de impedir que o ato amoroso aconteça.

A principal causa do vaginismo é o medo que a mulher pode ter de sentir muita dor durante a relação.

Ela ainda fez algumas considerações e destacou pontos importantes como o fato de a mulher precisar se consultar com ginecologistas. Mas também ponderou que apenas um ginecologista não conseguirá resolver esse problema. Ambrogini disse que será necessário que um profissional com especialização em sexologia acompanhe esse tratamento. Caso contrário pode acontecer de a mulher ir de médico em médico e não ter o seu problema solucionado.

Tratamento gratuito

A Unifesp oferece tratamento gratuito a pacientes que sofrem com esse problema. Para poder ser atendida gratuitamente será necessário fazer uma ligação para a Unifesp e agendar uma palestra que abordará o tema geral sobre a sexualidade. Depois que a mulher assistir a essa palestra ela será encaminhada para uma consulta médica. O profissional fará um diagnóstico para que então ele consiga descobrir como esse problema se originou. Após ter descoberto a origem do vaginismo, a paciente será encaminhada para uma equipe de fisioterapeutas e psicólogos e outros especialistas para que assim eles possam tratar o problema.

Tempo de tratamento do vaginismo

O tempo de tratamento varia de mulher para mulher. Pode durar meses ou anos. Tudo vai depender de como a paciente irá reagir ao tratamento oferecido pela Unifesp.