Para a maioria das pessoas, Rastafari não passa de dreads no cabelo, ideias de liberdade e muita #maconha. Mas a religião é bem mais complexa que isso.

Pouca gente sabe, mas a Jamaica e a Etiópia são as grandes responsáveis pelo surgimento da religião, claro que na Jamaica foi onde tudo começou.

O nascimento

Apesar da distância entre a Etiópia e a Jamaica e suas diferenças culturais, os dois mundos sempre estiveram conectados.

Tudo começou no século XIX, quando Marcos Garvey, um ativista Jamaicano e defensor dos negros, profetizou que na África um rei negro iria ser coroado e isso anunciaria o início da libertação.

Apesar de a escravidão já ter acabado na época, Garvey via que as coisas não tinham mudado muito para os negros, assim, ele queria a libertação total dos negros Jamaicanos.

A coroação

Enfim a profecia de Marcos Garvey se tornou realidade. Em 1930, Haile Selassie, foi coroado na Etiópia. Para os seguidores das ideias de Garvey, Selassie era como "Deus", e libertária os negros da Jamaica.

As ideias de Marcos Garvey se fundiram entre nacionalismo militante e religião, ele deu um sentido de identidade com a África para os negros. Assim os homens, mulheres e crianças negras começaram a querer retornar à África, que para eles era como a terra prometida, assim como Israel era para os judeus.

Como Bob Marley entrou na história Rastafari

Aos 21 anos, o cantor Bob Marley estava casado, e sua esposa era uma seguidora fervorosa da religião Rastafari. Em um certo dia, o rei Selassie foi visitar a Jamaica e ela foi recebê-lo e honrá-lo. Bob Marley já era músico na época e tinha acabado de formar a banda "The Wailers".

Robert Nesta Marley foi o mais fervoroso e influente pregador da religião Rastafari, mas nunca aceitou ser um profeta, apesar de suas músicas terem letras consideradas profecias por alguns. Mesmo não sendo nem querendo ser um líder, ele foi seguido e idolatrado por muitos como tal.

Depois do lançamento dos discos "Catch a Fire" e "Natty Dread", a religião ganhou seguidores de todo o mundo e passou a ser vista como um estilo de vida.

Fumar maconha é um ritual especial e espiritual

Ao contrário do que muitos pensam, os Rastafari não fumam maconha para ficarem "chapados", o uso da erva é um ritual especial e espiritual para eles.

A maconha é usada para iluminar a mente e debater sobre as coisas do mundo, também não usam em livre demanda como muitos pensam. A erva só é fumada em cerimônias, e antes do seu uso o Rastafari faz uma oração a Selassie ou Jah.

As pessoas que não são seguidoras da religião ou não conhecem o verdadeiro significado da mesma, fumam em livre demanda, apenas para curtir.

Fumar fora dos rituais e cerimônias é considerado um desrespeito à Selassie e Jah. #Al Quaeda